Michel Lima: O rapaz das marmitas quentes que procurou mil formas de ganhar vida desde muito cedo

27/07/2022 23:53 - Modificado em 28/07/2022 12:13
| Comentários fechados em Michel Lima: O rapaz das marmitas quentes que procurou mil formas de ganhar vida desde muito cedo

Com apenas 22 anos, Michel Lima sempre se mostrou resiliente às dificuldades da vida. Estagnar nunca foi seu forte. Por isso, desde a sua adolescência sentiu-se na obrigação de arranjar formas de ganhar o seu próprio sustento, colocando esforço em cada oportunidade que aparecia. Conhece Mindelo e arredores da cidade como ninguém. Antes de passar pelo serviço de entrega de refeições, muito fez, conta este jovem.

Desde os 19 anos, Michel Lima faz entregas de refeições e é mais conhecido por seus clientes de “Boizin de catxupa” ou simplesmente “Catxupa”.  Educado e de sorriso fácil, este jovem nasceu na Cidade da Praia.

Estudou até ao sexto ano de escolaridade, e devido às dificuldades encontradas pela frente começou a trabalhar na construção civil, de seguida passou a vender ovos, e depois a vender verduras. Tudo antes de completar 18 anos.  

“Eu sei que eu já não iria estudar, logo procurei também outra atividade para fazer. Então comecei a vender cachupa na rua para o pequeno almoço. Eu me associei a uma senhora que se mostrou disponível em confeccionar a cachupa”, contou.

Por questões pessoais, teve que parar com as vendas e decidiu enveredar, seguida pela venda de almofadas confeccionadas por outro rapaz. De sol a sol vendia o que podia.

“Por ganhar consoante aquilo que vendia, vi que o valor arrecadado era insuficiente para pagar despesas já que eu morava com a minha mãe”, disse.

No entanto, a ideia de voltar a vender cachupa nunca foi esquecida. Daí que mais uma vez voltou à atividade, mas desta vez foi morar por conta própria.

Por ser muito conhecido por todos foi-lhe confiado novamente ao serviço de entrega de pequeno almoço (cachupa) e almoço.  E a ideia é associar-se às senhoras que fazem a confeção dos pratos e fazer crescer o negócio.

“Pensamos ir mais longe neste serviço na possibilidade de uma sociedade e investir mais. Quero ir com a ideia muito mais adiante”, garantiu Michel que acrescentou que o que pode às vezes ser um desafio são os preços dos ingredientes que estão sempre a ser alterados.

Mas a vontade de fazer dar certo é maior do que as dificuldades. “Sou jovem e não posso parar, tenho que estar sempre a fazer algo. As pessoas dizem que estou sempre a trabalhar com pessoas diferentes. Mas o que não quero é estar sem fazer nada”, afirmou.

Neste momento, avançou, o que arrecada é suficiente às necessidades básicas. E com isso também tem familiares na diáspora que lhe envia produtos de beleza para vender e liquidar outras dívidas

“Gosto desta atividade porque penso que isso ajuda-me a superar momentos difíceis. Estar em contacto com pessoas mesmo nos dias difíceis ajuda-nos por algum momento a esquecer os problemas”, expressou este jovem.    

AC – Estagiária

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2023: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.