Transportes Marítimos: UCID afirma que o serviço público prestado é de pouca qualidade e pede intervenção do governo

27/07/2022 00:09 - Modificado em 27/07/2022 00:10
| Comentários fechados em Transportes Marítimos: UCID afirma que o serviço público prestado é de pouca qualidade e pede intervenção do governo

Nesta terça-feira, o presidente da UCID, João Santos Luís, pede que o governo tome uma posição o mais urgente possível, por forma a se pôr cobro a péssima prestação de serviço nas linhas marítimas, com exceção na rota São Vicente/Santo Antão e vice-versa que diz ser um modelo a seguir.

A UCID considerou que atribuir a uma empresa privada a concessão das linhas das linhas marítimas nacionais mas que não cumpriu com estipulado no caderno dos encargos tem afetado os interesses dos cabo-verdianos.

“Ao não se cumprir com a apresentação dos 5 navios, dentro das características prévias e devidamente exigidas no contrato, o governo permitiu e compactuou que um serviço público pago a peso de ouro funcionasse de forma deficiente, como a prática tem vindo a demonstrar”, afirmou João Santos Luís.

É neste sentido que a UCID sugere que o contrato de concessão seja “revisitado e estabelecer-se novas exigências e criar-se novas condições para que o serviço público adjudicado seja melhorado significativamente”. 

O mesmo justifica ainda que o serviço prestado é de “tão pouca qualidade”, sem contar as várias reclamações dos passageiros, da Federação Caboverdiana de Futebol, de comerciantes, entre outros. O mesmo lembrou que as linhas marítimas asseguradas pelos navios “Praia D’Aguada” e o Fast Ferry “Liberdadi” neste momento são manifestamente insuficientes para a ligação de todas as ilhas do país.  

Para colmatar este problema, a UCID é de opinião que o governo deve agir junto da empresa prestadora deste serviço para se proceder o aluguer de outras unidades marítimas “o mais rapidamente possível”.

AC – Estagiária

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2023: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.