Presidente da CMSV “foi criado um alvoroço por causa de seis folhas de papéis num processo entre  dois cidadãos”

26/08/2022 16:23 - Modificado em 26/08/2022 16:23
| Comentários fechados em Presidente da CMSV “foi criado um alvoroço por causa de seis folhas de papéis num processo entre  dois cidadãos”

O presidente da Câmara Municipal de São Vicente, Augusto Neves, considera que foi criado um “espetáculo à volta das buscas efetuadaspela Polícia Judiciária na Câmara,  na passada esta quarta-feira, 24 de agosto”.

Garante  que as autoridades policiais não levaram nenhum equipamento informático e que “tudo não passa de mentira e especulações”.

O presidente da CMSV esclareceu que se sentiu obrigado a vir esclarecer ao público, por que “esperava-se que as instituições envolvidas pudessem dar esclarecimentoe explicassem aos munícipes o porquê do da operação realizada pela PJ e que tanto alvoroço  provocou” .

Neves defende  que se passou a ideia que  “a CMSV pudesse estar envolvida em situações passiveis de investigação criminal quando o que está em investigação “ é um conflito entre dois cidadãos deste município, que são muito conhecidos por todos na praça pública”.

“Por isso, não entendemos o real motivo e sentido do  espetáculo que foi montado e acabou dificultando o trabalho dos funcionários. Muitas audiências tiveram deser canceladas, inclusive a de emigrantes, e outros expedientes”.

Para o presidente foi criado um “alvoroço” porcausa de seis folhas de papéis (certidão matricial, escritura epagamento de um  terreno), num processo com base numa queixa entre dois cidadão.

Esclareceu, ainda, que a PJ não levou nenhum equipamento informático e que “tudo isso é pura mentira especulação”.

Neves acredita que todo o “espetáculo” criado foi para “magazine e manchetes nos jornais e para uma maior audiência” e que a CMSV serviu de palco.

É neste sentido que o autarca pede mais respeito” pela instituição, cujos membros foram eleitos  povo. Neves admite que todo o “alvoroço” criado oobrigou a pensar que houve “motivações políticas”, justificando que acomunicação social e outros meios tenham chegado à CMSV antes daentrega do mandado de busca.

Situação que considerou uma “vergonha” enão uma “coincidência”. “Com tantos problemas que a ilha tem e que merecem uma atençãoespecial e serem resolvidos, estamos a perder tempo, embora asnotícias que envolvem a CM e os políticos sejam mais bonitas e trazemmuitas audiências e comentários nas redes sociais”, lamentou Augusto Neves.

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2022: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.