Ministério da Saúde quer reduzir o uso e consumo do sal, do açúcar, da gordura e dos alimentos processados na alimentação dos Cabo-verdianos

27/04/2022 23:52 - Modificado em 27/04/2022 23:53
| Comentários fechados em Ministério da Saúde quer reduzir o uso e consumo do sal, do açúcar, da gordura e dos alimentos processados na alimentação dos Cabo-verdianos

Em Cabo Verde, devido às mudanças no perfil demográfico, epidemiológico e nutricional as doenças crônicas não transmissíveis (DNT) são, há mais de 20 anos, a causa líder de mortalidade (Relatório Estatístico MSSS 2019), nomeadamente Doenças Cardio– Cerebrovasculares e Doenças Oncológicas, levando a incapacidades e anos de vida potencialmente perdidos e com elevados custos económicos e sociais, conforme dados da Direção Nacional da Saúde.

Este facto, segundo a mesma fonte deve-se em parte aos ganhos importantes alcançados com o desenvolvimento socioeconómico do país, mas também à própria modificação do estilo de vida.

O Inquérito sobre as Doenças Não Transmissíveis em Cabo Verde (IDNT, 2020) indica que 36,2% dos homens e 25,1% das mulheres apresentam Tensão Arterial elevada com uma prevalência nacional de 30,8% e 3,3% dos homens e 4,2% das mulheres apresentaram diabetes mellítus (prevalência nacional 3,7%), sendo que a prevalência da obesidade ronda os 14,3%.

Os estudos apontam que o aumento do consumo de sódio, açúcar e gorduras, está associado ao aumento das doenças não transmissíveis como a tensão arterial e diabetes. Segundo a estratégia mundial para a redução dos fatores de risco das doenças não transmissíveis, a meta é a redução de 30% do consumo médio do sal na população até 2025.

Neste sentido, o Ministério da Saúde através da Direção Nacional da Saúde (Programa Nacional de Nutrição e Escolas Promotoras da Saúde) tem em curso a elaboração de uma proposta de diploma para a redução do uso e consumo do sal, do açúcar, da gordura e dos alimentos processados na alimentação dos Cabo-verdianos.

Com esta proposta de diploma pretende-se trabalhar na modificação da oferta alimentar de determinados alimentos, em particular os que apresentam elevado teor de açúcar, sal e gordura, incentivar ações de reformulação nutricional dos produtos alimentares através de uma ação articulada com a indústria alimentar e com o setor da restauração e capacitar os cidadãos e profissionais que trabalham ou influenciam o consumo de alimentos para escolhas alimentares saudáveis.

O Atelier para Socialização desta Proposta de Diploma, tem lugar nesta quinta-feira 28 de abril, no salão de banquetes do Palácio do Governo, e será presidido pelo Secretário de Estado Adjunto do Ministro da Saúde, Evandro Monteiro.

EC

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2023: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.