Augusto Neves acusa vereadores do PAICV e UCID de “fanfarrões e conflituosos” e chama partidos para assumirem responsabilidades

20/04/2022 23:41 - Modificado em 21/04/2022 10:05
| Comentários fechados em Augusto Neves acusa vereadores do PAICV e UCID de “fanfarrões e conflituosos” e chama partidos para assumirem responsabilidades

O presidente da Câmara Municipal de São Vicente, Augusto Neves, considerou falsas e tendenciosas, as declarações dos vereadores da União Cabo-verdiana Independente e Democrática (UCID) e do Partido Africano da Independência de Cabo Verde (PAICV), relativamente ao abandono da reunião da edilidade, na terça-feira, 19 de Abril.

Augusto Neves, em conferência de imprensa assegurou que nenhum vereador abandonou a sessão, reiterando que foi o próprio que convocou a reunião, e não faz sentido “termos abandonado a sessão”.

Para o edil de São Vicente, estes vereadores, do PAICV e da UCID, queriam impor “à força” na agenda um ponto de trabalho, que já tinha sido discutido e aprovado em sessões anteriores. “Não aceitamos porque para anulação, serão outras instâncias e não outros vereadores da oposição”.

Sobre o abandono da reunião, diz que foi submetida a votação da agenda de trabalho e como não foi aprovada, terminou a sessão. “Desde de Janeiro que estamos neste impasse”.

Neste sentido, tendo em conta a situação de não entendimento, chama os partidos políticos a assumirem, segundo o edil, a responsabilidade política e não “deixar o vereadores independentes a deriva e a mercê de outrem, denegrindo o nome dos partidos por interesses obscuros”.

Com efeito, relembra uma situação de abandono da sessão do dia da cidade do Mindelo, 14 de Abril, dos vereadores. “Que exemplos estes vereadores podem dar quando em plena sessão solene, abandonem o acto, faltando respeito a cidade, aos munícipes que o elegeram e entidade e instituições”.

São vereadores, que conforme o mesmo não mostram um comportamento de quem quer trabalhar. “Usufruem de um salário mensal e não trabalham para justificar este vencimento”, acusa Neves que diz-se agastado com este “imbróglio”, causado por “fanfarrices e conflitos”.

Lembra que são servidores públicos e têm a obrigação de demonstrar a capacidade de trabalho e seriedade. “São Vicente está assistindo a manobras de um grupo de vereadores que tentam desestabilizar a CM, inventado leis e normas que não existem nos estatutos dos municípios.

Contrariando a versão dos vereadores, de que a sessão de ontem, 19, é legal, Augusto Neves citou um ponto dos estatutos dos municípios que diz que aprovação e deliberação tomada são legais.

Sobre a reunião de 02 de Janeiro, diz que a sessão havia sido marcada para 30 de Dezembro. E que apareceram somente quatro vereadores e por não haver quorum não se efectuou a reunião.

Entretanto, prosseguiu, que a lei diz que o presidente pode convocar a reunião e fazer com um terço ou mais. “Foi o que fizemos. Quarenta e oito horas depois convoquei a reunião, no dia 02 de Janeiro fizemos a reunião, deliberamos e aprovamos. Mas não temos culpa se só funcionam quando os cinco estão juntos”.

Portanto diz que não pretende deixar que pessoas com problemas históricos e familiares façam na câmara o que bem entenderem.

Elvis Carvalho

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2023: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.