Comissão de Carteira Profissional do Jornalista considera que os atrasos na atribuição do subsídio têm criado constrangimentos

1/04/2022 19:50 - Modificado em 1/04/2022 19:50
| Comentários fechados em Comissão de Carteira Profissional do Jornalista considera que os atrasos na atribuição do subsídio têm criado constrangimentos

A Presidente da Comissão de Carteira profissional de jornalista, Ângela Rodrigues, reconhece que os atrasos na atribuição do subsídio por parte do Estado têm criado constrangimentos ao normal funcionamento desta entidade pública independente responsável pela atribuição, suspensão e cassação da carteira profissional do jornalista.

A magistrada Ângela Rodrigues diz que desde o anterior governo, os membros da comissão de carteira têm alertado para esta situação que inibe a entidade de ter maior dinamismo. 

“O facto de a comissão de carteira não ter um orçamento próprio, não estar integrado autonomamente no orçamento de Estado traz esses constrangimentos da tutela para com a comissão e inibe ou constrange a comissão no exercício de algumas das suas funções”, explica Ângela Rodrigues.

 A mesma acrescenta que se perde mais oportunidade de estar mais próximo dos jornalistas, de ter mais encontros e mais abertura para poder dialogar de forma mais direta com esses profissionais e de poder acolher as suas informações.

A Presidente da Comissão de Carteira Profissional do jornalista diz que já há uma promessa da atual tutela de disponibilizar em breve um subsídio de funcionamento para este ano no valor de um milhão de escudos. Valor esse, que segundo diz, é direcionado para pagar as senhas de presença, as despesas de gestão e financiamento da comissão. 

“O valor não é muito elevado. Em relação ao alojamento a comissão fica sempre numa situação muito constrangedora, principalmente com a situação do arrendamento da comissão, mas ainda bem que as boas relações imperam e temos conseguido tratar desses pequenos constrangimentos na liquidação das nossas despesas”, salientou.

A Comissão de Carteira profissional do jornalista é composta por um magistrado judicial designado pelo conselho superior da magistratura judicial que preside um representante dos órgãos de imprensa e jornalismo eletrónico, um representante dos operadores de radiodifusão sonora, uma representante dos operadores de televisão, um jornalista profissional designado pela AJOC e dois representantes dos jornalistas profissionais.

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2023: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.