Andreia de Melo luta para vender o máximo de refeições quentes para o sustento da família

31/03/2022 23:42 - Modificado em 31/03/2022 23:42
| Comentários fechados em Andreia de Melo luta para vender o máximo de refeições quentes para o sustento da família

Nas margens da Avenida Marginal, em São Vicente, está uma das vendedoras de refeições quentes, em dias de sol, de vento, de frio, mas está lá Andreia de Melo que sempre que possível está acompanhada das suas meninas. Mesmo com os preços dos produtos em alta, continua a manter o seu preço e a garantir o sustento da família. Independentemente da situação, a jovem diz continuar a lutar, a persistir e nunca desistir do seu pequeno negócio.

Um pouco antes das 8h da manhã Andreia de Melo, que reside na zona de Bela Vista, está todos os dias em arredores do Porto Grande a vender as suas refeições e sempre que possível acompanhada das duas filhas menores de idade.

A vendedora tenta sempre conciliar a sua atividade com os horários das filhas, uma que frequenta escola básica e a outra o jardim infantil. “As minhas filhas estão aqui comigo todos os dias. Uma frequenta o ensino básico de manhã e a outra é do jardim infantil à tarde.  E quando não estão na escola ou no jardim estão sempre comigo”, explica.

Para evitar ter muitas despesas, principalmente com transporte, Andreia de Melo deixou de cozinhar em casa e passou a fazê-lo num espaço ao ar livre, onde também vende as refeições.

“Antes eu cozinhava a comida em casa e trazia para vender aqui, mas há uns dias comecei a cozinhar a comida aqui mesmo e isto é uma forma de economizar dinheiro já que tenho que pagar transporte para trazer a comida feita de casa.

Esta vendedeira sempre sonhou em ter seu negócio próprio e não depender de terceiros para ganhar dinheiro, uma ideia que diz ter muito a haver com a sua forma de ser, ou seja, ser uma pessoa de “personalidade forte”. “Para mim, trabalhar para outra pessoa é muito complicado. Quando trabalhamos para outras pessoas somos obrigados a aturar situações que ninguém merece passar. Por isso, gosto de trabalhar para mim mesma”, justifica.

Feijoada, arroz com peixe frito, arroz com tudo, galinha no forno, galinha com nata, lasanha, frisnote, entre outros são as especialidades da vendeira de refeições, e que segundo a mesma sempre recebeu elogios por causa do seu tempero.

Tendo em conta que os preços dos produtos alimentares têm aumentado recentemente, Andreia de Melo diz continuar a vender as suas refeições pelos mesmos preços, 150$00 a 200$00, mesmo sabendo que vai ganhar um pouco menos do que anteriormente.  

 “Se eu tivesse que aumentar o preço, seria para mais 50$00. Mas neste momento vai ficar pelos 200$00, mesmo sabendo que não perderia fregueses”, diz esta jovem que se mostra solidária com aqueles que trabalham naquela área debaixo do sol e procuram sempre a cada dia levar o sustento para a família.

Mesmo num contexto difícil, Andreia de Melo avança que o interessante é que o seu número de fregueses aumentou e que estes são trabalhadores do Porto Grande, estivadores, das empresas, da Gare marítima, das construções que estão sendo feitas, entre outros.

No entanto, os dias não são iguais, quando se pode vender 15 a 20 refeições por dia ou outras vezes menos. Conseguir arrecadar 6000$00 é só nos dias de muita venda e 3000$00 nos dias de pouco movimento, mas sem contar que de noite tem que dar conta sozinha do seu pequeno bar na sua residência.  Cada prato de comida vendida é motivo de alegria para esta vendedeira.

Andreia de Melo diz continuar a lutar todos os dias, e o quanto for necessário para sustentar as filhas que tanto amo para que nada lhes falta, principalmente quando não se sabe se a situação atual do mundo vai melhor ou pior.

“Vou lutar, vou persistir e nunca desistir”, finaliza Andreia de Melo.

AC – Estagiária

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2023: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.