Lameirão: “Nada mudou ao longo dos anos e a tendência é piorar” – moradores

28/01/2022 00:46 - Modificado em 28/01/2022 00:47

Lameirão é uma zona da ilha de São Vicente situada à oeste do Monte Verde e a leste da cidade do Mindelo. Junto à estrada que liga cidade a Baía das Gatas e estende-se para Mato Inglês e Pé de Verde. Os  moradores mostram-se preocupados com alguns problemas da zona e dizem-se esquecidos pelas autoridades políticas do município.

As principais reclamações centram-se nas promessas de melhorias nas condições de habitabilidade, passando pela falta de transporte/autocarros, condições de saneamento, a inexistência de um centro de saúde local, infraestruturas de lazer para jovens, crianças e idosos da localidade, a problemáticas da quase inexistência de espaços de comércio, “existe apenas um”, a gravidez precoce, consumo excessivo do álcool e drogas em relação a camada jovem.

Anilton Neves nascido e criado na zona, agora residente em Porto Novo afirma que durante a sua infância já “ouvia falar da promessa da construção de um polivalente” na zona, e hoje aos 34 anos espera que algum dia “os filhos desfrutem da infraestrutura de lazer que foi prometido na infância” e até agora não o viu ser construído.

Outros moradores ao serem questionados sobre as mudanças operadas na zona ao longo dos anos, apontam a inauguração da estrada reabilitada e asfaltada no ano de 2019, que liga a via Mindelo-Baía das Gatas e o complexo habitacional, cuja primeira pedra foi lançada em Dezembro de 2018 para a construção de 2 Blocos da Habitação Social, constituída por 10 Moradias T2, e que ao fim de quatro anos a construção habitacional orçamentada em 30 mil contos, ainda não foi finalizada.

Questionado sobre os possíveis moradores das habitações sociais, Anilton Neves chama atenção, para que os beneficiados sejam famílias da zona. “Seria injusto para nós moradores da zona não sermos contemplados com as habitações sociais. Poderá haver conflitos por parte dos moradores desta localidade ao verem as casas sendo habitadas por inquilinos de outras zonas, sabendo que em Lameirão há pessoas que necessitam de melhores condições de habitação “, enfatizou.

Yara Lucas, outra jovem, também preocupada com as condições básicas da zona que a viu crescer, diz que “ tudo está igual, nada mudou e a tendência é piorar”. A par de outros moradores aponta a problemática dos transportes e a demora na espera pelos Hiaces que transportam pessoas de Salamansa, Baía, e Norte de Baía, por não haver transportes próprios da zona. “A espera é longa e se atrasarmos um pouco, corremos o risco de chegar atrasados no trabalho. Não têm um horário fixo, por isso temos que madrugar para apanhar o transporte”, lamenta esta jovem.

As reclamações dos moradores se concentram também na necessidade de criação de mais salas na escola que tem “apenas duas salas de aula” que lecionam do 1 ao 4 ano, obrigando as crianças a deslocarem-se às zonas de Pedra Rolada e Bela Vista para concluir o ensino básico.

Relativamente ao Centro Comunitário da zona, os residentes questionam o facto de não haver nenhum responsável local, pois qualquer atividade que algum morador queira fazer no centro, terá de enviar uma carta direcionada ao presidente da câmara municipal, Augusto Neves solicitando a autorização do mesmo para efetuar tal atividade.

Os moradores apelam às autoridades políticas da ilha, um olhar mais cuidadoso sobre as necessidades de cada zona, principalmente aquelas que ficam mais distantes da cidade do Mindelo e requerem mais atenção em relação às condições básicas habitacionais.

Daisy Aleixo – Estagiária/EC

Comente a notícia

Obrigatório

Publicidades
© 2012 - 2022: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.