José Maria Neves: Visita a Angola “foi um sucesso”

12/01/2022 11:39 - Modificado em 12/01/2022 11:41

Presidente de Cabo Verde, José Maria Neves, diz que a sua visita a Angola ultrapassou as expetativas. Laços de amizade e cooperação entre os dois países foram “reforçados”.

O Presidente cabo-verdiano, José Maria Neves, refere que a sua visita ao “país irmão” foi “uma das melhores” que já fez ao exterior enquanto governante. 

“Atingimos todos os objetivos preconizados, há condições para o reforço das relações de amizade e de cooperação entre Angola e Cabo Verde, as relações já são excelentes, agora é elevar o patamar e é sempre possível ir mais longe”, afirmou Neves no final de um encontro que manteve com a comunidade do seu país residente em Angola, na Mediateca de Luanda.

O chefe de Estado, que efetua a primeira visita oficial ao exterior após ter sido eleito em outubro de 2021, recordou que o seu homólogo angolano, João Lourenço, visitará também o seu país, ocasião em que toda a amizade será retribuída.

O Presidente cabo-verdiano enalteceu a “forma calorosa” como a sua delegação está a ser tratada em Angola, onde chegou no domingo (09.01), e garantiu que a visita de João Lourenço ao arquipélago “servirá para selar os compromissos” de reforço das relações mútuas. 

“Designadamente de reforço das relações de amizade e cooperação, das relações no domínio dos transportes aéreos e marítimos, das relações no domínio do turismo, ensino superior e inovação, da reforma do Estado e da administração pública”, bem como as relações económico-empresariais, estabelecendo parcerias entre diferentes empresas angolanas e cabo-verdianas, frisou.

A primeira visita de Estado a Angola de José Maria Neves a Angola termina esta quarta-feira.

Preocupações da comunidade cabo-verdiana

Em relação ao encontro mantido com a comunidade cabo-verdiana em Angola, durante o qual foram apresentadas várias preocupações, sobretudo relativas à documentação, José Maria Neves assegurou que já decorrem trabalhos para se suprir esta inquietação. 

O Governo angolano “poderá tomar novas medidas para permitir e facilitar o acesso à documentação aos cabo-verdianos que já estão” no país “desde a década de 40 ou antes” e, em tempo oportuno, “irá anunciar os limites desta decisão”, realçou. 

José Maria Neves reconheceu a existência de muitos cabo-verdianos em “condição de vulnerabilidade” em Angola, e que “alguns já recebem um complemento de pensão” da parte do Governo de Cabo Verde. 

“É um esforço que o Governo faz no sentido de apoiar aqueles que são mais vulneráveis, alguns, aqui, tendo acesso à documentação também podem melhorar a sua condição de vida, porque podem ter acesso a apoios e a outras contribuições e prestações da parte do Governo angolano”, assinalou.

DW.com

Comente a notícia

Obrigatório

Publicidades
© 2012 - 2022: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.