Centros de Saúde de São Vicente com capacidade para realizar cerca de 100 testes de antígeno por dia

9/01/2022 23:09 - Modificado em 9/01/2022 23:09

De acordo com os dados da Delegacia de Saúde de São Vicente, cada centro de saúde da ilha tem, neste momento, capacidade para realizar cerca de 100 testes de antígeno por dia. Isso tendo em conta que devido ao aumento exponencial de novos casos de Covid-19, os centros passaram a realizar os testes para quem tenha sintomas de Covid, desde da passada semana.

A médica Jaqueline Cid explica como é que o serviço de testes tem funcionado na ilha. “Tivemos de refazer esta organização tendo em conta que há algumas semanas tínhamos menos casos, e com o aparecimento de mais casos, tivemos que reajustar de forma a responder a demanda da população melhor”, isso aliado com casos de covid dentro do sistema de saúde de São Vicente.

O Centro de diagnóstico situado na Esplanada da Avenida da Holanda, Monte Sossego, está a funcionar para a realização de testes de PCR para confirmação das infecções e testes de viajantes. “Caso tenha sintomas e o teste acusar negativo, é encaminhado para o Centro de diagnóstico para a realização do teste de PCR, para confirmação”, sustenta Jaqueline Cid. E os positivos, diz, são logo contabilizados e seguidos, juntamente com os familiares.
 
Com o aumento de casos de Covid-19 em São Vicente, nas últimas semanas, e com as novas directrizes da Direcção Nacional de Saúde, que pede a todos os doentes com sintomas de Covid19 (tosse, febre, espirros, irritação na garganta, dores pelo corpo e dores de cabeça) devem se auto-isolar em casa e contactar a linha verde 800 11 12, e podem ainda contactar o centro de saúde que abrange a sua zona de residência para melhor orientação, realização de testes e justificação de faltas laborais, muitos mindelenses tem reclamado no atraso destas justificativas que servem de comprovante, para o trabalhador apresentar ao empregador.

“Fiz o teste”, acusou positivo. Mandaram-me para casa e fiquei afastada da minha família, em isolamento profilático, durante uma semana”, conta uma utente que estava à porta do Centro de Saúde de Ribeirinha, à espera da sua justificativa de faltas para poder apresentar esta segunda-feira no trabalho.

“Faltei uma semana e até agora ainda não tinha recebido o documento”, afirma esta utente que reconhece a situação, mas também procura salvaguardar o seu emprego.

“Temos essa necessidade de apresentação de atestado médico quando temos a confirmação de contaminação pelo COVID-19”, aponta outra utente que diz, que mesmo assim, isso ainda gera muitas dúvidas.

São faltas que devem ser comprovadas e justificadas para que não haja o respectivo desconto pela sua ausência ao trabalho.

A delegacia de saúde da ilha, justifica este atraso, com a forte demanda de pessoas aos centros de saúde, agravado pelo aumento de casos e desfalque de profissionais de saúde infectados pelo vírus. “Então a demanda tem sido muita e a situação está difícil de acompanhar, mas estamos a trabalhar para responder à população da melhor forma possivel”, justificou Jacqueline Cid.

Comente a notícia

Obrigatório

Publicidades
© 2012 - 2022: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.