João Luís promete caso for eleito maior capacidade de intervenção política do partido a nível nacional

9/01/2022 22:57 - Modificado em 9/01/2022 22:57
| Comentários fechados em João Luís promete caso for eleito maior capacidade de intervenção política do partido a nível nacional


João Santos Luís quer “criar” a UCID mais em São Vicente, onde tem a sua base eleitoral, com vista a sua projeção para todo o país.

O número dois da União Cabo-Verdiana Independente e Democrática, UCID, João Santos Luís oficializou na semana passada, a sua candidatura à liderança do partido, que neste momento é a terceira força política nacional, a segunda em São Vicente, após António Monteiro afirmar que não é candidato a um novo mandato no congresso de Março.

O XVIII congresso ordinário da União Cabo-Verdiana Independente e Democrática está marcado para os dias 25, 26 e 27 de Março, no Mindelo e vai eleger o próximo líder do partido, posição que o atual vice-presidente João Santos Luís, alegou que o anúncio da sua candidatura, por estar “persuadido que tenha todas as condições de estruturar e unificar a UCID em todas as ilhas e também a nossa emigração”, para prosseguiu, “promover o seu crescimento realizando o sonho dos fundadores que nos idos anos oitenta sonharam com um partido capaz de defender intransigentemente as aspirações do povo cabo verdiano”.

Por isso propõe com esta candidatura, reforçar internamente a UCID de modo a congregar, juntar e unir todos à volta do partido à volta dos desafios que o país enfrenta. “Todos nós estamos convocados e não há razão para que ninguém fique de fora. A luta é titânica e portanto só a união será capaz de nos levar a vitória”.

Neste sentido, considera que a sua candidatura veio demonstrar a sua convicção e fixada aquela que é a missão do partido. “Pois chegou o momento de mostrar a todos aqueles que se preocupam com o rumo do nosso Cabo Verde que é preciso juntarmos todas as nossas capacidades e colocá-las ao serviço da nossa nação”.

E defende que é preciso ser “muito claros e muito objetivos em tudo que diz respeito à governação do país”.

Com isso em mente, refere que os sinais captados da sociedade cabo-verdiana são “preocupantes” e que infelizmente, Cabo Verde ainda é um país marcado por fortes desigualdades sociais, politicamente bipolarizada e com grande resistência à mobilidade e ascensão social.

João Santos Luís, tem pela frente, até agora, o jovem de Santiago Edson Ribeiro, embora o atual presidente da UCID tenha afirmado que ele não é militante do partido e portanto, não pode concorrer à presidência da UCID.

Por outro lado, António Monteiro não vai continuar como presidente da União Cabo-Verdiana Independente e Democrática.

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2022: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.