Dulce Matias morreu ao cair de uma altura de três metros quando tentava se abrigar da chuva

18/12/2021 13:12 - Modificado em 19/12/2021 16:26

A cantora s Dulce Matias faleceu, na noite, desta sexta-feira, 17 Dezembro, após uma queda no Hotel Prassa 3, na Praça Nova, no Mindelo, onde ia assistir um show


Segundo informações recolhidas por este online, junto de pessoas que estavam no local, no início do concerto, após alguma queda de chuva, a cantora terá procurado um local para se abrigar da chuva .

Levantou-se passou por um canteiro de plantas e entrou na primeira porta/ janela, que estava aberta. Só que ss para quem está na cave essa é uma janela, e para quem está no rés do chão, quando se abre, não tem chão á frente, mas sim uma profundidade de cerca de três metros

Uma janela, que segundo informações, normalmente, encontra-se fechada.

A cantora caiu e bateu com a cabeça num objecto e morreu devido a um traumatismo craniano.

A direção do Hotel Prassa 3 contactada  por este online sobre os factos acima descritos para uma reação, não se mostrou em condições de se pronunciar sobre este caso.

As informações dão conta que a cantora estava a assistir a um concerto de Voginha, Bau e Djassa, junto com a família no restaurante do hotel. 


“Dulce Matias estava sentada em uma mesa próximo desta janela. De imediato, paramos a música para ver o que se passava. Vi a Dulce estendida no chão e fiquei abalado”, contou Voginha ao Mindelinsite. 

Dulce Matias, nascida e criada em Cabo Verde, optou pela emigração em 1984. A música entra na sua vida ainda muito cedo. Nas recordações da sua pequena infância, a mãe é “uma mulher simples” e cantadeira e do avô, o violinista Nhó Xima, herdou o ritmo.


Dulce Matias era dona de uma voz rouca e tinha como um dos seus ritmos de eleição a morna e a coladeira.


A cantora tem dois discos no seu currículo: “Reservóde” (1999, que depois de reeditado em 2001, pela Idéalsongs Music passaria a chamar-se “Razâo d’existi”) e “Mel D´Cana”, álbum lançado em 2004 e que lhe valeu a nomeação para o Kora Awards 2004, na categoria de Melhor Cantora da África Ocidental. 

Corregido as 16 horas e 25 minutos de 19 Dezembro 2021


  1. Manuel Almeida Paris

    Imensa tristeza duma amiga excepcinal

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2022: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.