“Foi uma monstruosidade” – O chocante caso de abuso e morte da menina de 13 anos na ilha do Sal

10/12/2021 19:44 - Modificado em 10/12/2021 23:49
| Comentários fechados em “Foi uma monstruosidade” – O chocante caso de abuso e morte da menina de 13 anos na ilha do Sal


O caso da menina de 13 anos, identificada pelo nome de Eliane Sofia Silva Pinto, do Centro Educativo Manoel António Martins, que supostamente terá sido abusada sexualmente e posteriormente morta, na quinta-feira, 09 dezembro, na ilha do Sal, tem causado um sentimento de indignação, revolta, frustração, e de dor a toda a população neste crime que chocou o país.

Informações avançadas esta manhã pela RCV, indicam que a criança teria voltado da escola, ao que tudo indica, “de boleia”, num carro desconhecido.

O corpo terá sido encontrado, na localidade de Monte Leão, por uma pessoa que fazia a sua atividade física.

O comandante da Polícia Nacional da Ilha do Sal disse que as autoridades estão a aguardar a avaliação médica do corpo de Eliane, criança de 13 anos, assassinada ontem, para então concluir se a menina foi também violada sexualmente.

Nas redes sociais em Cabo Verde, este é o tema mais falado, comentado pelos internautas, sobre esta “monstruosidade sem tamanho”, cometida a esta menina de apenas 13 anos de idade.

Primeiramente, as mais sentidas condolências à família. Não tem como explicar e entender a dor que passam neste momento, mesmo sem conhecer a menina, acredito que todos em Cabo Verde, não conseguem visualizar, neste momento, a intensidade da dor que assola a família.

Foi uma monstruosidade, que acredito que toda a nação cabo-verdiana, não quer que fique impune e que entra nas estatísticas de crimes não resolvidos.

Nas redes sociais, professores, amigos, famílias e conhecidos, apontam para Eliane como uma menina inteligente, dedicada, que ajudava os colegas. “Uma criança doce, uma aluna empenhada”, escreveu uma professora.

“Tanta crueldade. Que seja feita justiça. Tanta maldade perante uma criança” escreveu uma internauta que diz ainda que não é preciso ter conhecido a “criança” para ter empatia pela perda e pela dor.

São tantos os comentários que não há espaço para todos, mas o sentimento é o mesmo. De indignação, revolta, por mais uma vida ceifada no país, vítima de abuso e violência. Uma atrocidade cometida por um “ser desprezível”. Uma barbaridade que choca a ilha do Sal, toda a comunidade educativa e o país.

De acordo com as poucas informações disponíveis, a principal suspeita pela sua violação e morte é um “desconhecido” que lhe deu boleia quando ela estava a caminho de casa em Santa Maria depois de ter saído da escola. 

Autoridades policiais dizem estar a investigar o caso no sentido de identificar o responsável por esta barbárie. 

As reações vêm de todos os lados, o Ministério da Educação, na sua página na rede social Facebook, em comunicado condenou “tamanha atrocidade”, deste trágico acontecimento que vitimou a aluna Eliane Silva Pinto, do Centro Educativo Manoel António Martins.

De acordo com o comunicado, o Ministro da Educação se deslocou à ilha do Sal para prestar as devidas condolências junto da família enlutada e se inteirar deste crime hediondo.

“O momento é de luto e não existem palavras que demonstrem a dor e a perda desta aluna de apenas 13 anos” lê-se na nota do ministério, que manifesta o “seu profundo pesar pelo fatídico falecimento da aluna Eliane”. 

À família enlutada endereçamos os nossos profundos sentimentos, extensivos a toda comunidade educativa da ilha do Sal.

Informa ainda que as autoridades competentes estão a investigar as circunstâncias e os contornos deste trágico acontecimento que abalou o país.

Elvis Carvalho

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2022: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.