Em 30 anos o ISCEE colocou quase três mil técnicos superiores no mercado nacional

26/11/2021 00:00 - Modificado em 26/11/2021 00:00
| Comentários fechados em Em 30 anos o ISCEE colocou quase três mil técnicos superiores no mercado nacional

Fundado em 25 de Novembro de 1991 por um grupo pessoas de vários quadrantes da sociedade, o Instituto Superior de Ciências Económicas e Empresariais, ISCEE, já formou cerca de 2905 técnicos superiores licenciados que se encontram trabalhando nas mais diversas áreas das atividades económicas, tanto no sector público como privado.

Sob o lema “Formar e qualificar profissionais de referência”, o ISCEE celebrou o trigésimo aniversário sublinhando durante um evento que teve como ponto alto o hastear da bandeira nacional a coroar simbolicamente “três décadas de intensa atividade económica e pedagógica”.

O presidente do ISCEE, José Lopes da Veiga recordou o percurso de “qualidade feito pela instituição”, realçando o facto da universidade privada ser “inequivocamente, uma instituição de referência que pauta pelo ensino nas áreas das ciências económicas e empresariais”.

Numa comparação a algumas das universidades milenares, como Cairo, Modena, Montpellier, Pádua, Nápoles, Paris ou Toulouse, o presidente do ISCEE disse que o instituto que gere pretende deixar o seu marco na história, sem esquecer a origem do seu nascimento, através de “pessoas dos mais diversos quadrantes da sociedade (…) que acreditaram na importância da educação como um bem público.

Um bem que conforme a o seu entendimento, tendo em conta, muito mais que exigência de reformulação de planos curriculares ou de formatos de avaliações,

José Lopes da Veiga apontou a necessidade de reformular os planos curriculares e defendeu a urgência de o governo conceder mais atenção às universidades privadas, incentivando e cofinanciando o ensino e a investigação científica e todas as actividades a ela inerentes de modo a permitir “o relançamento e a consolidação do ensino superior e a sua internacionalização e afaste o cenário, quase sempre presente, de sobrevivência”, concluiu.

presidente do ISCEE, José Lopes da Veiga

O momento foi também de balanço, salientando ele que nestes trinta anos de existência, a instituição colocou à disposição do país, cerca de 2905 técnicos licenciados nos dois polos, de São Vicente e da Praia, sendo a maior parte, da área de contabilidade, cerca de 1945 profissionais. Na área de gestão 579 e me Marketing 162 alunos. A licenciatura em Turismo registou um número menor de licenciados por ser a mais recente.

A nível institucional, referiu ele, estão a ser operadas mudanças estruturais, como a revisão de estatutos, a elaboração do PCCS e um novo Plano Estratégico de Desenvolvimento Institucional (2022-2026), bem como a criação de um núcleo de investigação para as áreas económicas e empresariais, entre outros.

No quadro da implementação da sua missão estratégica, o ISCEE tem em curso um programa designado “Open Door”, que tem como objetivo a partilha de experiências dos gestores técnicos nacionais com os alunos.

Está a desenvolver, ainda, o “Projecto Frescomar” visando a criação de mecanismos e estratégias para reduzir custos e o tempo de execução e aumentar a proposta de valor para o cliente.

O “Projecto Fragata”, o “Projecto Cintila”, são outros projetos a serem desenvolvidos pelo Instituto, que está a trabalhar também no “projecto de internacionalização do Carnaval do Mindelo”, com base nos mercados português, espanhol, francês e italiano.

EC

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2022: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.