UCID defende aumento salarial para acompanhar à subida do custo de vida no país

26/10/2021 12:57 - Modificado em 26/10/2021 12:57
| Comentários fechados em UCID defende aumento salarial para acompanhar à subida do custo de vida no país

Na segunda Sessão Plenária de outubro que começa esta quarta-feira, 27, além do debate sobre a Situação da Justiça destaca-se o debate com o primeiro-ministro, cujo tema “Desenvolvimento Sustentável de Cabo Verde” apresentado pelo Grupo Parlamentar do Movimento para a Democracia (MpD), a União Cabo-Verdiana Independente e Democrática (UCID) irá propor ao governo o aumento salarial, habitação condigna e proposta no combate ao aquecimento climático.

E sobre a questão do alargamento do prazo de vigência do regime simplificado de suspensão de contrato de trabalho e neste sentido, a UCID pretende continuar a se posicionar favoravelmente, defendendo a proteção dos postos de trabalho e garantindo a manutenção do rendimento das famílias.

No debate com o primeiro-ministro, versando o tema desenvolvimento sustentável de Cabo Verde, a posição da UCID vai centrar essencialmente na defesa do aumento do salário mínimo nacional, tendo em conta o aumento do custo de vida derivado do aumento do preço do combustível da eletricidade, da água, e alguns produtos alimentares, entre outros e que vai-se agravar com o aumento do IVA.

A posição foi manifestada por Zilda Oliveira, que alegou que existe a necessidade de se repensar e de se considerar um possível aumento do mesmo, sob pena de um agravamento das assimetrias sociais, da pobreza e consequentemente da qualidade de vida das pessoas.

“O impacto da qualidade de vida irá ser maior nos mais carenciados, nos mais desfavorecidos. Se já era difícil para muitos garantir a satisfação de necessidades básicas como a alimentação, com certeza essa situação não irá melhorar com o aumento do custo de vida”.

Zilda Oliveira que cita o relatório nacional voluntário acerca da implementação da agenda 20-30 para o desenvolvimento sustentável, apontou que em Cabo Verde, a fome não é um problema de massas, mas a insegurança alimentar está muito presente.

“E que a vulnerabilidade das famílias cria condições para o aumento da delinquência juvenil e que a fome acarreta outros males sociais, como o aumento da criminalidade, especificamente dos crimes contra propriedade, os furtos e roubos”.

Logo, sustentou que a medida de um bom governo passa pela melhoria da qualidade de vida das pessoas.

A habitação condigna é outro ponto que a UCID considera essencial, e que apesar das políticas adotadas, Zilda Oliveira considerou que ainda muito vivem em condições pouco dignas, e entretanto temos casas fechadas, por atribuir no programa Casa para Todos.

Outro ponto, conforme a deputada, deve-se à questão das alterações climáticas. Embora reconheça que o país contribui para o agravamento do aquecimento global, deve posicionar-se como um exemplo para o mundo, com respeito e preservação do ambiente.

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2022: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.