“A UCID sofreu com a derrota do candidato que o partido apoiou” – António Monteiro C/Vídeo

18/10/2021 22:03 - Modificado em 18/10/2021 22:03

Para o presidente da UCID, a alta taxa de abstenção, de 52%, nas eleições presidenciais de domingo, 17, é um dos motivos da derrota do candidato apoiado pelo seu partido, Carlos Veiga.

António Monteiro disse ainda que “Carlos Veiga consegue ser uma cola para agrupar todo o PAICV e provavelmente, por causa disso, a segunda razão tem a ver com o nível de abstenção elevadíssimo”.

Com esta percentagem, o líder da UCID lamentou de forma profunda a alta taxa de abstenção, que no seu entender o número de sete candidatos daria para os cidadãos poderem escolher quem seria, o candidato em que candidataram.

Sobre a posição do partido após estas eleições, António Monteiro acredita que “a UCID sofreu com a derrota do candidato que apoiou, porque ao tomarmos a decisão na Comissão Política Nacional, tivemos em conta, três pilares que sustentaram esta decisão, o primeiro a justiça, a estabilidade política nacional e consideramos que Carlos Veiga seria um grande dinamizador para a regionalização no país”.

E que embora, não consegue-se eleger o candidato em quem a UCID fez uma “aposta política muito forte”, o presidente dos democratas cristãos, esperam que José Maria Neves possa “fazer de tudo para não dar a razão a UCID, pelo facto de ter apoiado o Carlos veiga” e que possa, durante o seu mandato, dar o seu contributo para ajudar a melhorar a justiça, garantir a estabilidade política e fazer de tudo para que o país, consiga obter a regionalização”, sustentou.

Em relação ao seu futuro, Monteiro remeteu qualquer decisão para o congresso, que, conforme referiu, está para acontecer ainda este ano.

Elvis Carvalho

  1. Advogado di ladron

    bai sampé bai … dá lugar aos jovens UCID com esta direcção está no mesmo caminho do que o Carlos Veiga ( morte politica)

Comente a notícia

Obrigatório

Publicidades
© 2012 - 2021: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.