Fonte próxima do Governo nega haver recusa de visto a Camila Saab, apesar da “pressão emocional” da visita programada

8/10/2021 22:29 - Modificado em 8/10/2021 22:29

O pedido de visto de entrada em Cabo Vede, da esposa do diplomata venezuelano detido na ilha do Sal em Junho de 2021 e cuja extradição para os Estados Unidos, solicitada pelas autoridades desse país, foi já autorizada pelas três principais instâncias judiciais do arquipélago, não foi recusado, encontrando-se apenas, neste momento em fase de trâmite burocrático, de acordo com a legislação vigente.

Esta garantia foi avançada ao Notícias do Norte (NN) por uma fonte bem colocada junto do Governo de Cabo Verde, segundo a qual “não correspondem à verdade” notícias que que têm sido publicadas nos últimos dias, dando como certa a rejeição do pedido pelas autoridades nacionais.

De acordo com o nosso interlocutor, o assunto está a ser analisado junto das instâncias competentes, no cumprimento das regras que presidem à admissão de cidadãos estrangeiros ao território nacional e tendo em conta a natureza delicada da situação em causa.

“A vinda da esposa do senhor Alex Saab visa, no nosso entender, criar pressão sobre as autoridades judiciais e sobre a sociedade cabo-verdiana. Ela vem com duas crianças pequenas e vai permanecer indefinidamente em Cabo Verde, com tudo o que isso implica emocionalmente, e que constitui um problema”, considerou a nossa fonte, adiantando que outros familiares do extraditando, que chegaram a Cabo Verde há vários meses,  ainda permanecem no país.

A mesma indicou que tanto a irmã como o cunhado de Alex Saab, que foram autorizados a visitar o diplomata detido, ainda não regressaram ao seu país, e que o próprio embaixador da Venezuela tem permanecido largas temporadas em Cabo Verde, o que acentua a pressão sobre as autoridades.

“Vêem e permanecem, criando uma pressão emocional bastante acentuada, e como é evidente as autoridades cabo-verdianas não as podem expulsar e nem sequer admitem pensar nessa possibilidade, por razoes obvias e devido à natureza humanista da nossa sociedade e ao regime de Estado de Direito vigente em Cabo Verde”, declarou o interlocutor de NN próximo do Governo.

Assim, perspectiva, o que resta é esperar que os trâmites sigam o seu curso e que as autoridades competentes possam decidir “tranquilamente” em relação ao pedido de visto de Camila Saab, que “só há uma semana” deu entrada oficialmente junto dos serviços competentes.           

Comente a notícia

Obrigatório

Publicidades
© 2012 - 2021: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.