Sal: ICCA quer aumentar os investimentos e programas em favor da saúde mental nas crianças e adolescentes

7/10/2021 22:20 - Modificado em 7/10/2021 22:35

Integrado no plano de prevenção do suicido e melhoria da saúde mental, a delegação do Instituto cabo-verdiano da Criança e Adolescente (ICCA) na ilha do Sal está realizando o projeto “Saúde Mental do Adolescente – Informar para prevenir”, com um leque de atividades de promoção do bem-estar psíquico e emocional das crianças e adolescentes, cuja saúde mental precisa de atenção, refere a instituição.

Para assinalar o 10 Outubro, o dia mundial da saúde mental consagrado à educação, conscientização e defesa da saúde mental global contra o estigma social, este projeto de “Saúde Mental do Adolescente” visa incrementar a informação sobre os cuidados com a saúde mental, especialmente dos adolescentes, bem como incentivar a educação emocional e a prevenção de doenças através de atividades que promovem o bem-estar psíquico-emocional.

Dentre as atividades levadas a cabo, destacam as ações de capacitação para monitores e educadores em educação emocional e saúde mental dos adolescentes, oficinas de emoções com adolescentes e rodas de conversas com os pais e encarregados de educação, este último visa a sensibilização dos progenitores para as questões da saúde mental das crianças e dos adolescentes, informar sobre práticas saudáveis para promover a saúde mental, e conscientizá-los sobre a importância de estar atentos a sinais, e ainda como e onde procurar ajude, caso necessário.

A adolescência, que de acordo com o ECA – Estatuto Criança e Adolescente vai dos 12 a 18 anos, é um momento único que molda as pessoas para a vida adulta e que é marcada por várias e complexas mudanças físicas, biológicas, emocionais, psicológicas, mentais e sociais.

Em decorrência das suas experiências sociais, pessoais, familiares e do meio onde estão inserido, os adolescentes acabam por vivenciar fatores de risco para a sua saúde mental, que os tornam vulneráveis ao nível psíquico-emocional.

Nestas condições, o ICCA defende a promoção do bem-estar psicológico e a proteção deste grupo etário contra experiências adversas e fatores de risco que possam afetar o seu potencial de prosperar, condição fundamental para alcançar o bem-estar e a saúde física e mental na vida adulta.

Dados observados pelo ICCA no quadro das suas intervenções regulares indicam que é preciso intensificar o diálogo com os adolescentes e suas famílias sobre esta temática tão sensível especialmente nesta faixa etária. “Entendemos que multiplicar as informações é um meio de fomentar a prevenção de fatores de risco para a saúde mental dos adolescentes, muito mais agora devido aos efeitos da pandemia da Covid -19” justifica a mesma fonte.

A comemoração do Dia Mundial da Saúde Mental foi instituída em 1992 pela Federação Mundial de Saúde Mental, data essa que traz importantes reflexões sobre os distúrbios mentais e a saúde psíquica-emocional dos adolescentes, uma das áreas mais negligenciadas da saúde.

O conceito de saúde, elaborado em 1947 pela Organização Mundial da Saúde (OMS), diz que “saúde é um estado de completo bem-estar físico, mental e social e não apenas a ausência de doença ou enfermidade”, daí a importância do bem-estar mental enquanto componente da saúde das pessoas.

Esse ano a OMS ressalta a importância do investimento na saúde mental para tratar os distúrbios identificados a fim de prevenir o seu agravamento. É com esta visão que a OMS PATROCINA o tema da campanha “Move for mental health: let’s invest” (“Mova para a saúde mental: vamos investir”) que tem como objetivo incentivar políticas e intervenções públicas em todos os países.

Elvis Carvalho

Comente a notícia

Obrigatório

Publicidades
© 2012 - 2021: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.