“A Vénus Crioula” é a terceira obra de Vera Duarte em 2021

6/10/2021 23:07 - Modificado em 6/10/2021 23:07

O livro “A Vénus Crioula”, da escritora Vera Duarte, que vai ser lançado esta sexta-feira, na Cidade da Praia, é a terceira obra da escritora que há pouco mais de um mês publicou um livro de micro contos intitulado “desassossegos e acalantos.” No início do ano a mesma autora, já tinha lançado “Contos Crepusculares – Metamorfoses”, ambos fruto dos meses de confinamento devido à pandemia da Covid -19.

Vera Duarte foi distinguida muito recentemente com o prémio literário Guerra Junqueiro 2021, uma distinção que consagra a autora e de certa forma constitui o reconhecimento da sua presença bem marcante ao longo de vários anos de convívio com a escrita literária.

A mais recente obra, “A Vénus Crioula”, conta o destino de uma cantora de pés descalços que viaja pelo mundo fora e terá a apresentação de Norma Lima e Teté Alhinho.

De acordo com a autora, citada pela Inforpress, “A Vénus Crioula” retrata uma bela jovem, negra e nua, de rebeldes cabelos soltos, nascendo numa concha-útero, uma figura não silenciosa, como a do quadro, mas dotada de uma voz encantadora, como a das sereias.

E conta o destino de uma cantora de pés descalços que viaja pelo mundo fora que tem a voz de Cesária Évora, de Sãozinha Fonseca e de tantas outras que inspiraram a autora que diz também ter carregado consigo, durante anos, a vontade de evocar a história trágico-marítima de Cabo Verde.

 “Encontramos características sem dúvida frequentes nas gentes de Cabo Verde e não só, que, através de naufrágios, perdas, desespero, infortúnios e mortes, não perdem o dom da humanidade nem o dom do amor e da esperança”, reflete a autora.

Vera Duarte estreou-se como autora em 1993 com o livro de poesia “Amanhã Amadrugada”, seguindo-se “O arquipélago da paixão (2001) ”, “Preces e súplicas ou os cânticos da desesperança (2005) ”, “Exercícios poéticos (2010) ”, “A candidata (2003) ”, “Construindo a utopia (2007) ”, “Matriarca: Uma história de Mestiçagens (2017”) e “Risos e Lágrimas” (2018).

Em 2019, publicou a sua antologia poética “A Reinvenção do Mar: Antologia Poética” com a chancela da Rosa de Porcelana Editora.

Vera Duarte é juíza desembargadora jubilada, membro das Academias Cabo-verdiana de Letras, de Ciências de Lisboa, Gloriense de Letras, Virtual de Poetas de Língua Portuguesa. Cabo Verde assume a meta de atingir

Comente a notícia

Obrigatório

Publicidades
© 2012 - 2021: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.