“A Polícia Nacional na Ilha do Sal desafia abertamente uma ordem judicial”

29/09/2021 22:43 - Modificado em 29/09/2021 22:43
| Comentários fechados em “A Polícia Nacional na Ilha do Sal desafia abertamente uma ordem judicial”

Em comunicado a defesa de Alex Saab considera que ele “está sequestrado por Cabo Verde, sob instruções dos Estados Unidos, há 474 dias. Durante este tempo, foi torturado física e psicologicamente, tendo-lhe sido negados os seus direitos humanos mais básicos, incluindo o acesso a cuidados de saúde especializados que, como paciente
oncológico, deve ter.
A 31 de agosto, o Tribunal da Relação de Barlavento ordenou que Alex Saab fosse
transferido da Ilha do Sal para a Praia, porque a sua saúde se está a deteriorar ao ponto de nos causar a nós e aos seus médicos verdadeira preocupação.
Contudo, 30 dias após a ordem do Tribunal do Barlavento, Alex Saab permanece detido sob um regime opressivo de prisão domiciliária, sem os cuidados médicos de que necessita urgentemente. É evidente que foi dito aos guardas de Alex Saab que devem fazer o que for preciso para impedir a sua transferência para a Praia e para continuar uma rotina de comportamento cruel e sádico com o objetivo de o quebrar física e mentalmente. Sob as instruções de quem? Para que resultado final? Para benefício de quem?
O povo de Cabo Verde precisa de saber que a sua polícia desafia abertamente o seu poder judiciário. O povo de Cabo Verde tem de compreender os crimes que estão a ser cometidos em seu nome.
Como nação, não podemos deixar de dizer ao mundo o quanto somos melhores do que os nossos vizinhos. No entanto, a saúde de Alex Saab está hoje a ser utilizada num jogo político em que Cabo Verde nunca se deveria ter envolvido. É vergonhoso que haja pessoas ao mais alto nível da autoridade executiva que pensam ser perfeitamente aceitável que a vida de um homem inocente possa ser sacrificada
para satisfazer os objetivos políticos de outro.

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2021: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.