Delegação da Venezuela às negociações com a oposição, no México, evoca Alex Saab e exige a sua libertação

28/09/2021 20:11 - Modificado em 28/09/2021 20:11
| Comentários fechados em Delegação da Venezuela às negociações com a oposição, no México, evoca Alex Saab e exige a sua libertação

Os delegados do Governo da Venezuela que participam nas negociações com a oposição tendo em vista encontrar-se uma solução política para a crise que o país atravessa, apresentaram-se sexta-feira no local das conversações, que decorrem no México, exibindo cartazes com fotografias e dizeres a exigir a libertação de Alex Saab, detido em Cabo Verde há mais de um ano à espera de extradição para os Estados Unidos, autorizada judicialmente há algumas semanas pelo Tribunal Constitucional do arquipélago.

Por isso, o início de mais esta ronda de conversações, mediadas pela Noruega, entre os delegados nomeados pelo Presidente Nicolás Maduro e os representantes do chefe da oposição venezuelana, Juan Guaidó sofreu algum atraso, para o que terá igualmente contribuído a nomeação do diplomata Alex Saab como integrante da equipa negocial do Governo.

Antes, porém, para justificar a sua ausência à mesa com os seus colegas, Alex Saab fez questão de endereçar uma carta à delegação de Caracas, dando conta da impossibilidade da sua e lamentando não poder aportar o seu contributo à defesa dos interesses do seu país de adopção (n.d.l.r. Alex Saab nasceu na Colômbia, sendo a família de origem libanesa).

Na missiva, endereçada ao chefe da equipa de Nicolás Maduro, Jorge Rodrigues, que a divulgou através da sua conta no Twitter, mostrando-se “comovido” e “indignado”, devido às “atrocidades cometidas” contra Alex Saab, este insurge-se contra o “bloqueio imoral e cruel” imposto pelos Estados Unidos contra a Venezuela, que no entanto, afirma “continua valente, uma pátria que não se rende”.

O diplomata enumera todas as ilegalidades e injustiças de que considera ter sido alvo desde o início da sua detenção em Cabo Verde, assim com as violações dos seus direitos, designadamente os mais elementares, como a assistência médica que lhe é devida enquanto doente oncológico e lhe foi recusada durante muito tempo pelas autoridades cabo-verdianas,

Alex Saab fala igualmente da insustentabilidade legal das acusações que lhe foram imputadas pelos Estados Unidos, e que Cabo Verde aceitou, para proceder à sua prisão e detenção ao longo de mais de um ano, e que acabaram por justificar a autorização da sua extradição pelas três principais instâncias da justiça cabo-verdiana, ou seja, o Tribunal da Relação, o Supremo Tribunal de Justiça e o Tribunal Constitucional.

Os dramas pessoais vividos, nomeadamente os prejuízos sofridos pelos filhos maiores, a morte dos pais (ocorrida já durante a detenção), a separação dos filhos menores e o sofrimento de toda a família, em virtude da actual situação, são igualmente evocados na carta de Alex Saab, que garante que não se curvará perante os interesses dos Estados Unidos.

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2021: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.