Pelo menos 4.744.890 mortes no mundo desde o início da pandemia

27/09/2021 13:17 - Modificado em 27/09/2021 13:24
| Comentários fechados em Pelo menos 4.744.890 mortes no mundo desde o início da pandemia

A pandemia de covid-19 matou pelo menos 4.744.890 pessoas no mundo desde o final de dezembro de 2019, segundo um balanço feito hoje pela agência France-Presse (AFP) a partir de fontes oficiais.

Mais de 231.740.830 casos de infeção foram oficialmente diagnosticados desde então, quando o gabinete da Organização Mundial da Saúde (OMS) na China declarou a doença.

A grande maioria dos doentes recuperou, mas uma parte ainda mal avaliada conserva sintomas durante semanas, por vezes meses.

No domingo, registaram-se no mundo 4.602 mortes e 325.362 novos casos de infeção pelo vírus SARS-CoV-2, que provoca a doença da covid-19.

Os países que registaram mais novas mortes nos seus balanços foram a Rússia (779), os Estados Unidos (289) e o Irão (288).

Desde o início da pandemia que os Estados Unidos são o país mais afetado, tanto em número de mortes como de casos, com 688.033 mortos em 42.931.410 casos confirmados, segundo a contagem da universidade norte-americana Johns Hopkins.

A seguir aos EUA, os países mais afetados são o Brasil, com 594.443 mortes (21.351.972 casos), a Índia, com 447.194 mortos (33.678.786 casos), o México, com 275.450 mortos (3.632.800 casos), e a Rússia, com 204.679 mortos (7.443.149 casos).

Entre os países mais duramente atingidos, o Peru é o que declara o maior número de mortos em relação à população, com 604 óbitos por cada 100.000 habitantes, seguindo-se a Bósnia (318), a Macedónia do Norte (316), a Hungria (312), o Montenegro (301) e a Bulgária (294).

A América Latina e as Caraíbas totalizavam hoje, pelas 11:00 em Lisboa, 1.483.741 mortes (44.756.793 casos), a Europa 1.302.904 mortes (67.169.675 casos), a Ásia 834.398 mortes (53.594.389 casos), os EUA e o Canadá 715.678 mortes (44.532.817 casos), a África 208.797 mortes (8.243.424 casos), o Médio Oriente 197.310 mortes (13.274.036 casos) e a Oceânia 2.062 mortes (169.704 casos).

O balanço foi realizado a partir de dados recolhidos pelas delegações da AFP junto das autoridades nacionais e de informações da OMS, e exclui revisões realizadas `a posteriori` por alguns organismos estatísticos, que concluem por um número mais significativo de mortes.

A OMS estima mesmo, tendo em conta a mortalidade direta e indiretamente associada à covid-19, que o balanço da pandemia poderá ser duas a três vezes superior ao oficialmente registado.

Uma parte importante dos casos menos graves ou assintomáticos continua por detetar, apesar da intensificação da despistagem em muitos países.

Lusa

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2021: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.