Ministro do Mar garante que estrutura de apoio da Piscina Oceânica da Lajinha vai continuar a funcionar como bar

9/09/2021 21:31 - Modificado em 9/09/2021 21:31

Após a suspensão temporária do funcionamento da estrutura de apoio à estrutura de apoio da Piscina Oceânica da Lajinha, esta vai continuar aberta ao público. Esta decisão foi anunciada pelo Ministro do Mar; Paulo Veiga que considerou que estão em fase de resolução os problemas detetados  e deste modo, “em concertação com o nosso parceiro privado iremos permitir que ela funcione como um bar”.

Paulo Veiga que abordava o assunto esta tarde numa conferência de imprensa,  declarou que ficou decidido que o governo, através do Ministério do Mar não vê, nenhum mal que o espaço funcione depois do encerramento como um bar. “Esta é uma decisão. Estou certo, estou errado. Não sei. Acho que estou certo, mas estamos aqui para decidir e é uma decisão” sublinhou o ministro.

No entanto, afirmou que a decisão anterior se mantém quanto à proibição de venda de bebidas alcoólicas, tal como previsto e anunciado antes da sua inauguração.

“Em princípio quando foi pensado, e vai continuar desta forma, é um local onde os banhistas podem guardar toalhas, alugar instrumentos para natação. Mas essa mesma estrutura tem um café que durante o dia, vai vender produtos saudáveis e da terra, e depois do encerramento da piscina, que acontece as 18 horas, tendo o promotor conseguido uma licença junto das autoridades competentes, já que o ministério não da licença, o espaço passará a funcionar como um bar, independente da piscina”, esclareceu Paulo Veiga.

Em relação à delimitação do espaço, que passa a ser de 10/15, Bruno Paris, um dos promotores do empreendimento, afirma que “ficaram com mais de metade do espaço para alongamento, talvez não fiquem satisfeitos, mas são as decisões tomadas e que acatamos”, referiu o promotor.

 “O espaço dá trabalho a 25 chefes de família e não há nenhum contrassenso permitir que funcionasse depois das 18 horas, como um bar que venda bebidas alcoólicas”, apontou Bruno Paris.

A Piscina Oceânica da Laginha tem 25 metros de cumprimentos e 15 metros de largura. O fundo variar entre 80 e 120 centímetros de profundidade e a terceira terá uma maior profundidade, podendo ultrapassar dois metros, quando for colocada a rede de proteção de fundo, que chega no país, se tudo correr como planeia o ministério do mar, por altura do Ocean Week, agendado para 22 a 26 Novembro.

Ainda sobre o uso da piscina, Paulo Veiga garantiu que esta está a aberta ao público e de forma gratuita. “Apenas menores de 18 anos estão proibidos de utilizar o local, enquanto não tem o fundo”.

A estrutura que irá permitir o ensino de natação, formação de nadadores salvadores e formadores, atividades terapêuticas e provas de natação é um projeto piloto que irá permitir estudar a viabilidade de outras piscinas semelhantes em outras praias do país.

Comente a notícia

Obrigatório

Publicidades
© 2012 - 2021: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.