MPD diz que críticas do PAICV sobre estágio profissional do IEFP são “irresponsáveis” e “falsas”

6/09/2021 00:17 - Modificado em 6/09/2021 00:17
| Comentários fechados em MPD diz que críticas do PAICV sobre estágio profissional do IEFP são “irresponsáveis” e “falsas”

O Movimento para a Democracia (MpD),em reação as declarações do PAICV, sobre as denúncias sobre o estágio profissional, bem como os sucessivos atrasos no pagamento dos salários, diz que mais uma vez, o partido da oposição recorre-se a irresponsabilidade e a falsidade, para justificar os seus discursos de que tudo está mal.

A Comissão Política Santiago Sul (CPSS) do MpD defende que oestágio profissional é um programa que visa criar oportunidades de inserção dos nossos jovens no mercado de trabalho e que nos últimos três anos transferiu para as famílias cabo-verdianas mais de 700 mil contos por via do subsídio do estágio”, afirmou Andyra Lima, da Comissão Política de Santiago Sul do MpD, em conferência de imprensa.

Andrya Lima, explicou que o programa apresenta uma taxa de inserção dos jovens no mercado de trabalho acima dos 60 por cento (%), afirmando, por outro lado, não entender a posição da oposição contra políticas activas de emprego.

Segundo aquele membro da CPSS do MpD “é totalmente falso” que tenha havido atrasos sistemáticos e “falso quando o PAICV vem dizer que todos os estagiários se encontram com 3 meses de subsídio em atraso”.

“Queremos tranquilizar os nossos estagiários, que neste momento, são quase 1.200 e dizer que de facto alguns têm, de momento, atrasos nos seus subsídios, e informá-los que o Governo já está a trabalhar numa solução, pelo que brevemente estes beneficiários do programa de estágios profissionais receberão os subsídios normalmente, incluindo os meses em atraso”, declarou.

Neste âmbito, realçou que desde 2016, é a primeira vez que tem acontecido atraso no pagamento dos subsídios a alguns estagiários justificando a demora pelo facto do Programa de Estágio Profissional ser financiado via ajuda orçamental com apoio da Cooperação Luxemburguesa, e uma parte com recursos nacionais (do tesouro).

Assim sendo, sublinhou que a causa do atraso está no processo de transição do PIC IV para o PIC V, ou seja, dos novos desembolsos da ajuda orçamental destinada à execução dos principais programas de promoção ao emprego.

Apesar das afirmações, a represente do MpD não soube quantificar sobre quantos estagiários estariam sem receber os subsídios há cerca de dois meses, segundo garantiu, e nega o facto de os estágios terem sido criados para proveito eleitoralista.

O programa, segundo referiu, conseguiu reduzir o desemprego de 15,0% em 2016 a 11,3% em 2019 e o desemprego jovem de 41,0% em 2016 a 24,9% em 2019, onde o sector privado afirma-se como maior gerador de empregos.

NN/ Inforpress

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2021: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.