PAICV acusa o governo de sucessivos atrasos no pagamento salarial aos estagiários do IEFP e de utilizar os estágios para fins eleitorais

2/09/2021 21:09 - Modificado em 2/09/2021 21:10
| Comentários fechados em PAICV acusa o governo de sucessivos atrasos no pagamento salarial aos estagiários do IEFP e de utilizar os estágios para fins eleitorais
Djanira Moreira – Membro da Comissão Politica Regional de Santiago Sul (CPRSS) do PAICV

O Partido Africano da Independência de Cabo Verde (PAICV) acusou, hoje, o governo de sucessivos atrasos no pagamento salarial aos estagiários do Instituto do Emprego e Formação Profissional (IEFP), e de utilizar os estágios para fins eleitoralistas.

Em conferência de imprensa, a Comissão Politica Regional de Santiago Sul (CPRSS) do PAICV, alia-se à denúncia ao mesmo tempo que manifesta “toda a sua solidariedade” aos estagiários que tem sido “apoquentados por sistemáticos atrasos nos pagamentos das bolsas de estágio profissional” do IEFP.

“De acordo com estas denúncias veiculadas nas Redes Sociais pelos próprios estagiários, muitos deles são  chefes de família e todos com contas por pagar e compromissos para honrar e os incumprimentos por parte do Governo já́ vão em três meses”, referiu Djanira Moreira, membro da CPRSS- PAICV.

Uma situação que causa muitos constrangimento devido aos sistemáticos atrasos. Os mesmos mostram-se indignados, sobretudo devido à falta de informações dizendo estarem fartos das comunicações para ganhar tempo no estilo de “o pagamento das bolsas, em atraso, serão regularizados, brevemente”. 

“E, a bem da verdade, cabe precisar que o Governo, não tendo conseguido criar os 45 mil empregos dignos, no horizonte da Legislatura passada, à razão de nove mil, por ano, optou, de forma massiva, à oferta de estágios profissionais, visando atingir propósitos bem identificados e que se prendem, fundamentalmente, a três ordens de razões”, sustentou Djanira Moreira.  

Segundo ela, com a massificação dos estágios profissionais no seio da camada jovem, o governo pretendeu abafar as críticas desse extrato social maioritário da população e falsear os dados estatísticos de modo a passar a ideia de que o estágio, mesmo não sendo emprego, é mais importante do que este.     

“Sem jamais menosprezar o valor dos estágios profissionais, até porque os estágios profissionais foram introduzidas pelo Governo do PAICV em 2007, decreto-lei número 24 de 30 de julho”, justifica.

O PAICV entende que o Governo tem falhado, “redondamente, no que tange à materialização de politicas ativas de emprego, a uma verdadeira redinamização do tecido empresarial, a investimentos em setores fundamentais geradores de emprego e à atratividade do investimento direto estrangeiro, enquanto medidas eficazes e eficientes para diminuir as taxas de desemprego, sobretudo, no seio da camada jovem”.   

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2021: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.