Jovens em São Vicente ainda com receio em relação a vacinação contra a covid-19

20/07/2021 00:54 - Modificado em 20/07/2021 00:55
| Comentários fechados em Jovens em São Vicente ainda com receio em relação a vacinação contra a covid-19
Fonte: DW

Há cerca de três semanas anunciada o alargamento da vacinação contra a covid-19, relativamente as pessoas a partir dos 18 anos. No entanto, em São Vicente continua-se a notar algum receio quanto à vacinação dos mais jovens.

Ao Noticias do Norte, alguns jovens abordados sobre esta temática, mostram-se indecisos quanto a receberem a vacina, embora as informações divulgadas pelos serviços de saúde dão conta da importância de se vacinar.

 Esta resistência, conforme Jorge Nascimento, deve-se a falta de informações sobre as vacinas e seus efeitos, apesar de todas as informações divulgadas. “Na verdade ainda não pesquisei muito sobre os efeitos secundários, mas tenho ouvido alguns comentários de pessoas que já receberam a vacina, e sei que existem muitos. Tenho um pouco de receio” sustenta.

No entanto, admite a possibilidade de se deslocar a um dos postos de vacinação, até porque como diz, brevemente poder-se-á vir a pagar para ser imunizado. “E para viajar terei que futuramente mostrar o cartão de vacinação”, refere.

Sara Costa, é outra jovem que não quer tomar a vacina, embora reconheça que futuramente possa ser obrigada. “Mas mesmo assim, ainda não sei se o vou tomar”.

Esta jovem salienta que o grupo de amigos da sua faixa etária partilham a mesma opinião quanto à vacina e não pretendem vacinar.

“Pelo que sei nunca fui infetado pela COVID-19 e apesar de saber que sem a vacina, caso for infetado será pior, prefiro apostar na prevenção”, refere João Lopes. A única forma de receber a vacina contra a covid-19, é se for obrigatório, reforçou.

Sobre os efeitos secundários notados no pai, febre, vómitos, dores no corpo e tonturas durante três dias após ser vacinado, também o ajudaram para criar um certo receio.

Uma posição que não deixa em descaso a falta de informações que muitos jovens não tem, pelo menos de forma segura.  Já que é de conhecimento público que todos os medicamentos tem efeitos secundários.

Por outro lado, os que já estão imunizados com a primeira dose apelam à população a seguirem o exemplo, para que o país possa vir a ter um abrandamento de casos e desta forma “a volta ao normal”.

Para Carlos Lopes os efeitos, como as dores no corpo, febre e calafrios, são efeitos normais das vacinas, como já me tinha informado”, explica este jovem que apela a todas a se engajarem na luta contra esta “terrível pandemia”.

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2021: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.