Japão bate recorde de velocidade de internet

19/07/2021 12:05 - Modificado em 19/07/2021 12:06
| Comentários fechados em Japão bate recorde de velocidade de internet
IoT (Internet of Things) concept.

Uma equipa de engenheiros informáticos japoneses bateu o recorde de 2020 de velocidade de internet para quase o dobro: 319 terabits por segundo.

Um grupo de engenheiros informáticos do Instituto Nacional de Tecnologias de Comunicação (NICT, na sigla em inglês) e Informação do Japão bateu um novo recorde de velocidade de internet. Como avançaram órgãos de comunicação social como o Motherboard ou o Tom’s Hardquare, os investigadores mediram um velocidade de carregamento de conteúdos de 319 terabits por segundo, conseguindo bater o recorde mundial. Os resultados desta experiência foram revelados através de um artigo científico que foi divulgado a 11 de junho na Conferência Internacional sobre Comunicações através de Fibra Óptica.

Os engenheiros informáticos utilizaram uma nova tecnologia de cabos de fibra óptica para alcançar este novo recorde. O NICT enviou dados através deste tipo de cabos simulando uma distância de transmissão de três mil quilómetros qualquer sem degradação do sinal ou velocidade.

De acordo com os investigadores, a principal inovação desta experiência foi demonstrar as possibilidades de um cabo de fibra óptica com quatro núcleos. Segundo o NICT, esta tecnologia  poderá ser facilmente implementada em sistemas existentes para aumentar a velocidade.

“O diâmetro de revestimento padrão, fibra óptica de quatro núcleos pode ser ligada a equipamento existente e espera-se que tais fibras possam permitir a transmissão de um grande número de dados a curto prazo”, dizem os autores que, acrescentam, pode levar a uma tecnologia de comunicação futura, já depois do 5G.

O anterior recorde foi alcançado em agosto de 2020 quando investigadores no Japão e no Reino Unido mediram uma velocidade 178 terabits por segundo. Antes disso, em maio do mesmo ano, uma equipa de investigadores das universidades de Monash, Swinburne e do Royal Melbourne Institute of Technology (RMIT), na Austrália, tinham batido o recorde ao medir uma velocidade de 44,2 terabits por segundo a partir de uma única fonte de luz.

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2021: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.