Amadeu oliveira ainda não foi detido devido a burocracias legais

16/07/2021 00:39 - Modificado em 16/07/2021 00:40

O procurador-geral da República (PGR), José Luís Landim, disse esta quinta-feira, que o deputado e advogado Amadeu Oliveira, que planeou e concretizou a saída do país “de um condenado por homicídio”, ainda não foi detido porque há procedimentos a serem respeitados.

“Esse senhor, porque é deputado, as coisas estão a andar mais lentamente porque há uma série de procedimentos que têm que ser respeitados, apenas isso, mas é um caso igual a qualquer outro. Levantado a imunidade, ele é um cidadão comum como qualquer outro”, afirmou José Luís Landim à TCV, à margem de um evento na cidade da Praia.

O PGR revelou que a emissão do mandado de detenção é da Procuradoria de São Vicente, ilha onde o arguido estava em prisão domiciliária até à fuga para França em 27 de março, por via aérea.

“As coisas estão a andar e no momento certo daremos uma resposta e agiremos em conformidade com o que a lei nos diz”, prosseguiu José Luís Landim, para quem é difícil avançar prazos para a detenção.

“Há um trâmite a respeitar e estamos a fazer tudo com o maior cuidado possível, dentro da legalidade, apenas por isso é que ainda não foi, mas não posso dizer nem prever quando é que isso será”, completou.

Em causa está a saída do país, em 27 de junho, a partir de São Vicente num voo da TAP com destino a Lisboa, tendo depois seguido para França, do arguido Arlindo Teixeira, condenado inicialmente a 11 anos de prisão por homicídio.

Comente a notícia

Obrigatório

Publicidades
© 2012 - 2021: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.