Covid-19: Primeiro-ministro luxemburguês em estado “grave, mas estável”

5/07/2021 16:09 - Modificado em 5/07/2021 16:09

O primeiro-ministro do Luxemburgo, Xavier Bettel, está em estado “grave, mas estável” e vai permanecer no hospital por pelo menos mais quatro dias, uma semana após ter testado positivo à covid-19, anunciou hoje o Governo luxemburguês. 

© John Thys/Pool via REUTERS

Num comunicado, o executivo luxemburguês adiantou que a gestão dos assuntos correntes será, entretanto, assumida pelo ministro das Finanças, Perre Gramegna, apesar de Bettel ainda coordenar alguns dossiês a partir do hospital.

O chefe de Governo luxemburguês, 48 anos, foi hospitalizado no domingo para observação por 24 horas “por precaução” e para fazer análises complementares, depois de ter sido diagnosticado com uma insuficiente saturação de oxigénio, obrigando-o a permanecer sob observação médica.

Bettel também sofre os sintomas provocados pelo novo coronavírus, como tosse, dores de cabeça e febre. 

“O estado de saúde do primeiro-ministro é considerado grave, mas estável”, explicou o governo luxemburguês, lembrando que Bettel já tinha tomado uma primeira dose de vacina da AstraZeneca a 06 de maio passado, com a segunda dose prevista para 01 deste mês.

Bettel começou a 27 de junho um período de 10 dias de auto-isolamento, menos de 48 horas após uma cimeira europeia em Bruxelas, onde esteve com os restantes chefes de Estado e de Governo da União Europeia (UE), mas nenhum outro participante foi considerado caso de contacto, dado terem sido respeitadas as normas de distanciamento, disse então o Governo luxemburguês.

Desde que se auto-isolou na semana passada, Bettel continuou a trabalhar remotamente e através de videoconferências. 

Os casos de covid-19 têm vindo a aumentar no Luxemburgo nos últimos 10 dias. 

Até hoje, o Luxemburgo, país com cerca de 630 mil habitantes, acumulou desde o início da pandemia 71.031 casos de covid-19, a que estão associadas 818 mortes.

A pandemia de covid-19 provocou pelo menos 3.980.935 mortos em todo o mundo, resultantes de mais de 183,7 milhões de casos de infeção pelo novo coronavírus, segundo o balanço mais recente feito pela agência France-Presse.

Lusa

Comente a notícia

Obrigatório

Publicidades
© 2012 - 2021: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.