António Monteiro defende a regionalização para permitir “discriminação positiva de cada ilha e capaz de eliminar as assimetrias”

5/07/2021 15:33 - Modificado em 5/07/2021 15:33

No seu discurso alusivo as comemorações do 46.º aniversário da independência do país, o líder parlamentar da UCID, António Monteiro, defendeu a regionalização para permitir “discriminação positiva de cada ilha e capaz de eliminar as assimetrias” e “promover o desenvolvimento equilibrado e estimular a competitividade em partes do espaço geográfico”.

Para o líder e deputado da UCID, a independência trouxe ao País e aos cabo-verdianos a responsabilidade de conduzi-la e a sorte que “cada cristão tem direito à sua gota de água”, responsabilidade que, na sua opinião, deve ser dos políticos em tudo fazer para que o cidadão possa realizar-se na plenitude.

“A independência é sem sombra de dúvida o maior feito da nossa história. Trouxe-nos muitos desafios e com estes, muitos erros foram cometidos. Mas a verdade, e é bom que se lhe diga, é que ganhamos um País e assumimos o nosso próprio destino”, disse, sublinhando que Cabo Verde tem, hoje, outros grandes desafios que começam com a verdade e o respeito pelas hierarquias quer sejam elas familiares, empresariais ou Institucionais.

O mesmo realçou ainda no seu discurso que a pandemia que se abateu sobre o mundo e em Cabo Verde, em particular, deixará traços marcantes na vida das empresas, das famílias e dos cidadãos que só poderão ser mitigados com o envolvimento de todos.

Neste sentido, enalteceu que a situação, nos diversos sectores exige do Governo e da oposição união para uma melhor saída e sem protagonismos “exacerbados”, e defendeu uma regionalização que permita uma discriminação positiva de cada ilha e capaz de eliminar as assimetrias, promover o desenvolvimento equilibrado e estimular a competitividade em partes do espaço geográfico.

Comente a notícia

Obrigatório

Publicidades
© 2012 - 2021: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.