PGR assegura que fuga do cidadão Arlindo Teixeira para a França não significa que possa ficar impune

29/06/2021 20:38 - Modificado em 29/06/2021 20:38

O Procurador-geral da República (PGR), Luís José Landim, garantiu hoje na cidade da Praia que a fuga do cidadão franco-cabo-verdiano Arlindo Teixeira para a França, não significa que ele possa ficar impune em relação ao crime que lhe é imputado.

Para Luís José Landim, hoje ninguém consegue fugir à justiça, esteja onde estiver, porque Cabo Verde tem uma lei de cooperação judiciária internacional avançada e igual às melhores leis que se conhece, pelo que a extradição do arguido é uma hipótese.

A mesma fonte, aclara ainda que existem ferramentas que permitem, mesmo que pessoas estando fora, possam ser julgadas, através da transmissão de processos para se avançar com a instrução.

Uma outra possibilidade avançada pelo Procurador-geral da República é a execução da sentença no país onde estiver o arguido.

“Temos tido várias experiências nesse sentido e tem funcionado com outros países”,  indicando que a fuga de Arlindo Teixeira não significa que isto possa gerar impunidade.

Comente a notícia

Obrigatório

Publicidades
© 2012 - 2021: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.