Primeiro-ministro garante que processo da detenção do avião da CVA na ilha do Sal é “irreversível”

29/06/2021 15:14 - Modificado em 29/06/2021 15:14

O primeiro-ministro Ulisses Correia e Silva, garantiu hoje na Cidade da Praia, que o processo da detenção do avião da Cabo Verde Airlines (CVA) na ilha do Sal é “irreversível”.

De acordo com o chefe do Governo, neste momento a proposta é negociar a saída porque há questões relacionadas com indemnização, mas que o processo é “irreversível”. Nesta senda, explicou que o Governo já aprovou o decreto-lei que vai para a presidência para promulgação e o “mais breve possível será publicado”.

No entanto, esclareceu que não se trata de um arresto, mas de uma providência cautelar para garantir que o avião não saia do País antes da conclusão do processo de privatização. Isto é, trata-se de um processo de privatização, tendo o diploma sido aprovado e a partir daí  o Governo indicará  um novo conselho de administração  que tomará conta da gestão da empresa.

De realçar que o primeiro-ministro, Ulisses Correia e Silva, já tinha anunciado a decisão do Governo de reverter a privatização dos 51% do capital da Cabo Verde Airlines que está na posse da Icelandic, com o argumento de que o parceiro estratégico não está a cumprir com as suas responsabilidades.

Na sexta-feira, 25, a ministra da Presidência do Conselho de Ministros, Filomena Gonçalves, confirmou que o Governo pediu o arresto do único avião da companhia para servir como garantia para pagar as dívidas da companhia junto de credores e fornecedores.

Comente a notícia

Obrigatório

Publicidades
© 2012 - 2021: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.