São Vicente ganha novo sistema de medição laser que investiga o pó do Sahara na atmosfera sobre a ilha

27/06/2021 21:39 - Modificado em 27/06/2021 21:40

O Centro Oceanográfico do Mindelo (OSCM – Ocean Science Centre Mindelo), está equipado neste momento com um raio laser verde que vai ajudar a investigar o pó do Sahara na atmosfera sobre a ilha de São Vicente.

Conforme um comunicado de imprensa, este laser, que neste mês entrou em funcionamento, é gerado pelo LiDAR (light detection dranging), e envia impulsos laser inofensivos para a atmosfera, nesta zona tropical. Com estas medições em terra, de forma remota, os investigadores da TROPOS pretendem estudar com as campanhas, a atmosfera tropical sobre Cabo Verde, bem como melhorar a precisão das previsões meteorológicas nos trópicos.

O Ministério do Mar garante que o Centro Oceanográfico do Mindelo (OSCM) é uma base ideal tanto para a investigação dos oceanos como da atmosfera nos trópicos, visto que a ilha está rodeada pelo Atlântico tropical, conhecido como um gigantesco motor climático, que apresenta fenómenos como furacões, pesadas monções e oscilações climáticas.

Apesar do facto de o Atlântico tropical ter uma grande influência no clima mundial, os dados científicos desta região são ainda muito limitados. Além disso, Cabo Verde situa-se mesmo no caminho das tempestades de areia e do fumo dos incêndios florestais que se deslocam do continente africano para oeste, para o Atlântico aberto, o que expõe a população local também a sérios riscos de saúde. Tudo isto exige uma melhor capacidade de observação da poeira atmosférica na região.

Em relação ao pó e outros tipos de partículas atmosféricas, são exemplos de questões-chave: Atmosfera e condições atmosféricas, sobretudo que tipos de partículas chegam a Cabo Verde, a que altitudes, de quais zonas de África, como é o impacto das partículas nas nuvens e na radiação.

“Atmosfera e oceano: as partículas fornecem ao oceano elementos que possam ser necessários para a produção de algas ou de nutrientes que por sua vez possam ser benéficos para a biodiversidade dos oceanos? Atmosfera e saúde: as partículas constituem um risco para a população de Cabo Verde e, se sim, como são as doenças relacionadas com vírus e possíveis bactérias transportados pelas partículas?” questiona a mesma fonte.

A fim de melhorar a disponibilidade de dados e a nossa compreensão desta região tropical, investigadores de áreas atmosféricas e oceânicas estabeleceram redes e plataformas de investigação em Cabo Verde, durante os últimos anos. Duas das mais importantes plataformas de investigação são o Observatório Oceânico de Cabo Verde (CVOO) e o Observatório Atmosférico de Cabo Verde (CVAO).

Com o novo LiDARPollyXT para as campanhas no OSCM, a investigação internacional em Cabo Verde está a atingir um novo e muito excitante nível. A instalação e funcionamento do sistema no OSCM é uma preparação para uma campanha de investigação internacional mais abrangente. O TROPOS, o INMG e o OSCM fazem parte da campanha tropical Aeolus organizada pela ESA (EuropeanSpatialAgency). Esta campanha de grande escala compreende actividades espaciais, aéreas e terrestres, que abordam principalmente a validação das medições do vento tropical e de aerossóis.

Nesta senda, as medições da velocidade do vento registadas pelo satélite Aeolus da ESA serão comparadas e validadas com as medições do laser baseadas em terra através do LiDARPollyXT. Espera- se que estas medições de validação melhorem significativamente, as previsões meteorológicas e do vento, no Atlântico tropical. Para além das medições de validação, o sistema LiDARPollyXT no OSCM, também contribuirá, para investigar nuvens e aerossóis nos trópicos e assim ajudar a compreender melhor a formação de ciclones tropicais. A campanha irá expandir-se ainda mais com a implantação temporária de um segundo sistema LiDAR, chamado EVE, que está a ser criado por cientistas gregos do Observatório Nacional de Atenas (NOA). Ambos os sistemas LiDAR, PollyXT da TROPOS e EVE da NOA, irão medir partículas de poeira e assim fornecer dados a partir de terra para uma melhor interpretação dos dados do satélite Aeolus.

O Centro Oceanográfico do Mindelo, acolherá cientistas em missão e apoiará esta campanha de investigação abrangente, internacional e interdisciplinar, com as suas instalações, dando assim um contributo muito importante para alargamento do âmbito das capacidades de investigação em Cabo Verde.

Comente a notícia

Obrigatório

Publicidades
© 2012 - 2021: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.