Cabo Verde Airlines retoma voos a 18 de junho começando por Lisboa

31/05/2021 21:03 - Modificado em 31/05/2021 21:03

A Cabo Verde Airlines que há mais de um ano se encontra com as ligações aéreas suspensas, anunciou hoje que vai voltar a voar a partir de 18 de junho, estando as reservas online já disponibilizadas.

De acordo com um comunicado de imprensa divulgado hoje, a retoma dos voos vai ser feita de forma gradual a partir do Hub aéreo do Sal, começando com uma ligação semanal, as sextas-feiras, com a cidade de Lisboa.

A mesma fonte dá conta que de 28 de junho de 2021 a 28 de março de 2022, vai operar quatro voos semanais Praia-Sal-Lisboa às sextas e segundas-feiras, um voo semanal para e de Sal-Praia-Boston às terças com regresso as quartas-feiras e um voo semanal para e de Sal-São Vicente-Paris aos sábados com regresso aos domingos.

Com a vacinação contra a covid-19 a decorrer neste momento no país, a empresa diz estar a analisar potenciais mercados para lançar novos voos, desde que as condições sanitárias assim o permitam.

Nesta retoma adianta que tem a seu dispor um novo sistema de passageiros, denominado HITIT, uma ferramenta moderna que tem uma solução de vendas, operações e contabilidade integrada e que vai aumentar a eficiência e confiabilidade do apoio ao cliente.

No comunicado assinado por Erlendur Svavarsson, o CEO da Cabo Verde Airlines refere que estão “entusiasmados pelo facto de podermos finalmente, ressuscitar a companhia aérea das cinzas da pandemia”.

“As praias do Sal, os restaurantes únicos e o calor e hospitalidade do povo cabo-verdiano irão receber de braços abertos os visitantes a um destino que é verdadeiramente diferente de todos os outros. Isto é só o começo e estamos ansiosos por criar um futuro melhor” sustenta o CEO da companhia.

Durante a paragem que esteve obrigada desde março de 2020, a companhia diz ter aproveitado para “reorganizar, treinar as suas equipas e implementar um novo sistema de vendas que permite que os passageiros sejam automaticamente notificados de todos os voos em agendamento”.

Este investimento, garante a mesma fonte, foi feito com o intuito de tornar a companhia “mais ágil e confiável”. Por fim esclarece que terá um programa de reutilização de vouchers de voo que não tenham sido utilizados, o que permite que a viagem possa ser agendada até três anos após a emissão, um programa que ambiciona compensar todos os passageiros pelos voos cancelados como resultado da repentina pandemia que assolou todas as companhias aéreas.

Comente a notícia

Obrigatório

Publicidades
© 2012 - 2021: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.