Mais de um milhão de pessoas deslocadas na Índia devido ao ciclone Yaas

26/05/2021 12:39 - Modificado em 26/05/2021 12:39

Cerca de 1,1 milhão de pessoas tiveram de abandonar as suas casas na costa leste da Índia, devido à chegada do ciclone Yaas, prevista para a tarde de hoje.

© AHMER JAWED/via REUTERS

Achegada do Yaas, considerado uma “tempestade ciclónica muito severa”, acontece pouco mais de uma semana depois de o ciclone Tauktae ter causado pelo menos 145 mortos no oeste da Índia, em grande parte devido ao naufrágio de dois barcos.

De acordo com a agência de notícias Associated Press (AP), as fortes chuvas associadas ao ciclone Yaas já fizeram dois mortos e causaram danos em casas, nos estados indianos de Odisha e de Bengala Ocidental.

O ciclone, que deverá tocar terra ao meio-dia (17:30 em Lisboa), cortou linhas de eletricidade que eletrocutaram duas pessoas e danificaram 40 casas em Bengala Ocidental, disse o ministro-chefe do estado na terça-feira, citado pela AP.

Os Serviços Meteorológicos Indianos anunciaram que os ventos deverão rondar os 130 a 155 quilómetros por hora.

Como medida de segurança, o aeroporto de Calcutá foi encerrado e a circulação ferroviária foi interrompida.

O plano de evacuação devido ao ciclone acontece numa altura em que a Índia está a braços com uma devastadora segunda vaga de pandemia de covid-19, com 3.511 mortes nas últimas 24 horas, elevando o número total de óbitos para mais de 300 mil.

O ministro-chefe do estado de Odisha, Naveen Patnaik, apelou às pessoas que estão a ser deslocadas para abrigos anticiclone para usarem máscara e manterem a distância social, para prevenir o contágio. “Temos de enfrentar os dois desafios em simultâneo”, disse, citado pela AP.

Na segunda-feira, as autoridades indianas emitiram alertas para os estados de Odisha e Bengala, devido às fortes chuvas e inundações nas zonas costeiras, e advertiram os pescadores para não entrarem nas águas da baía de Bengala nos próximos dias.

A baía de Bengala é frequentemente atingida por ciclones, normalmente entre abril e maio e outubro e novembro, embora as novas tecnologias de prevenção tenham ajudado a Índia e o Bangladesh a diminuir drasticamente o número de vítimas desses desastres.

Em maio de 2020, o ciclone Amphan provocou mais de 100 mortes na região, num dos piores incidentes deste tipo.

Por Lusa

Comente a notícia

Obrigatório

Publicidades
© 2012 - 2021: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.