Cabo Verde aposta na diplomacia económica para captar investimento estrangeiro

20/05/2021 16:02 - Modificado em 20/05/2021 16:02

O vice-primeiro-ministro de Cabo Verde, Olavo Correia, afirmou hoje que a diplomacia económica e a capacidade de o arquipélago atrair investimento direto estrangeiro são “essenciais” para o “futuro coletivo” do país.

Ao intervir na abertura do primeiro Fórum de Investimento e Negócios Sustentáveis entre Cabo Verde e a República Checa, Olavo Correia, que é também ministro das Finanças, assumiu o compromisso do Governo cabo-verdiano de fazer do arquipélago “um país de oportunidades”, tirando desde logo partido da localização estratégica.

“Queremos fazer de Cabo Verde um país plataforma, com um setor privado forte, dinâmico e empreendedor. Um setor privado que consiga liderar a produção de riqueza, a geração de empregos, mas também a distribuição de rendimentos”, defendeu.

O fórum, organizado pela Câmara de Comércio Checo-Cabo-verdiana, decorre na cidade de Praga e pretende aprofundar as relações diplomáticas e económicas, comerciais, culturais e educacionais entre os dois países.

Dirigindo-se aos empresários da República Checa, num fórum que decorre em formato digital, Olavo Correia destacou a importância da captação do investimento estrangeiro por Cabo Verde.

“Neste projeto de construção de Cabo Verde como país plataforma, a diplomacia económica, mas sobretudo a nossa capacidade para atrair o investimento direto estrangeiro, é uma questão essencial, uma questão estratégica, determinante para o nosso futuro coletivo. Desde logo, a República Checa, enquanto país europeu, tem um papel importantíssimo a desempenhar enquanto investidor em Cabo Verde e tudo faremos para que isto aconteça”, enfatizou.

Apelando ao interesse dos investidores e empresários checos, o governante garantiu o objetivo do executivo de oferecer “um bom ambiente de negócios”, assim como um “quadro macroeconómico estável, previsível, que cria confiança a todos os investidores, nacionais e internacionais”.

“Estamos a criar todo um ecossistema financeiro, fiscal, de financiamento, de ambiente de negócios, para que os investidores externos, e da República Checa, possam ter em Cabo Verde um melhor ambiente possível, possam ser bem acolhidos, possam ter oportunidades para produzirem e investirem, criarem empregos, mas também gerarem rendimentos”, disse.

Assumindo que a República Checa “pode ser um grande parceiro de Cabo Verde”, em vários domínios, Olavo Correia apontou em concreto os setores do Turismo, dos Transportes, da Economia Marítima, do Digital, ou ainda a nível comercial e industrial.

“Estamos abertos para melhorarmos ainda mais o ambiente de negócios, através de um diálogo permanente que podemos construir, para que o contexto seja ainda melhor. E este fórum pode ser também o momento, no sentido de aconselhar o Governo, como é que nós podemos melhorar ainda mais o ambiente de negócios, criando as condições para que investidores da República Checa possam investir cada vez mais em Cabo Verde, nos mais diversos domínios da atividade económica”, concluiu, garantindo que este será apenas o primeiro de “muitos fóruns” a realizar com os empresários checos.

O evento de hoje conta com a participação de empresários e políticos cabo-verdianos e checos, em parceria com os ministérios da Indústria e Comércio e dos Negócios Estrangeiros da República Checa, segundo a organização.

Lusa

Comente a notícia

Obrigatório

Publicidades
© 2012 - 2021: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.