São Vicente: Moradores da Zona de Vila Nova-Cruz de Papa reivindicam iluminação pública para garantir a sua segurança.

12/05/2021 21:21 - Modificado em 12/05/2021 21:22
| Comentários fechados em São Vicente: Moradores da Zona de Vila Nova-Cruz de Papa reivindicam iluminação pública para garantir a sua segurança.

O porta-voz do grupo de moradores, Sidney do Rosário em conversa com o Notícias do Norte diz que a falta de iluminação pública tem causado uma onda de assaltos no local e que já “correram atrás”, tanto da Câmara Municipal de São Vicente, como da Electra, para encontrarem uma solução para este problema que os aflige.

Este morador diz que a preocupação é antiga e que por várias vezes já contactaram a Electra e a Câmara municipal para tentaram chegar a um entendimento com colocação de alguns postes com luz elétrica, mas nada. “Já fomos lá pessoalmente e vieram aqui, mas nada foi resolvido e já tem quase um ano”, explica.

Uma situação que se estende por vários anos e que nos últimos tempos, devido ao aumento de roubos e furtos, apelam às autoridades a atuarem de forma que tenham iluminação na rua para a segurança das pessoas em todos os seus aspetos.

Conforme Sidney Rosário a situação já poderia estar resolvida, se houvesse algum interesse das autoridades em se preocuparem com o bem-estar da população que ali mora.

Desta reivindicação consta também de um abaixo-assinado de longa data, em que os moradores, também contribuintes, não têm poupado esforços juntos da Electra-Norte. “Já fizemos um abaixo-assinado, subscrito por mais de 65 moradores e levamos ao conhecimento da Electra. Vieram ver, mas alegaram que havia alguns impedimentos na colocação dos postes e propomos, sermos nós próprios a fazer as escavações, mas mesmo assim nada”, sublinha.

Neste sentido, diz que contactaram a comunicação social para denunciar esta situação.

Outra moradora diz que trabalha na Fábrica Fescomar e tem de se levantar cedo para pegar no trabalho, ainda com escuro, já foi assaltada duas vezes e que neste momento, por serem um pequeno grupo de sete, tentam ir juntas para evitar que isso volte a acontecer.

Também Virgínia Silva classifica o local de perigoso pois, segundo nos contou, a casa do filho foi assaltada recentemente durante a madrugada. “Entraram e levaram tudo o que puderam, até os documentos dele”, aponta esta moradora que diz também que tem medo de sair de casa e deixar uma criança de três anos e um idoso de 70 anos, com medo da casa ser assaltada.

Uma situação que para Sidney do Rosário poderia ser resolvida com a colocação de alguns postes de luz. Por outro lado, acrescenta que aguarda pela Electra, há mais de sete meses, para poder ter eletricidade na sua moradia. “Fizeram a fiscalização e disseram que tudo estava bem, mas até hoje, sete meses se passaram e ainda estou a espera para fazerem a ligação da eletricidade”, conta este jovem pai de família que diz que tem um filho de está a estudar e que precisa acompanhar as aulas pela televisão, mas com a falta de eletricidade isso tem sido um problema.

Por isso, juntos clamam pela intervenção urgente das autoridades de modo a criar condições para repor a paz e a tranquilidade pública nesse bairro. E os moradores sentem que esta situação poderia ser resolvida com a colocação de uma iluminação pública adequada. De entre outras questões que os aflige, a iluminação pública é a principal preocupação e reivindicação dos moradores.

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2021: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.