IGAE encerra 8 bares no Mindelo por incumprimento de horário

10/05/2021 13:18 - Modificado em 10/05/2021 13:18
| Comentários fechados em IGAE encerra 8 bares no Mindelo por incumprimento de horário

Uma operação iniciada no fim-de semana em São Vicente pela Inspeção Geral das Actividades Económicas (IGAE), contando com a ajuda de vários parceiros resultou no encerramento de 8 bares, por incumprimento do horário de encerramento, estabelecido pelas normas em vigência do estado de calamidade, para conter a propagação da covid-19.

Uma equipa multidisciplinar, constituída pela IGAE, Câmara Municipal, com a fiscalização da Polícia Nacional, Forças Armadas, Delegacia de Saúde e da Proteção Civil, começou no fim-de-semana, em várias zonas da ilha, ações de fiscalização para a implementação das medidas de segurança sanitária no quadro da pandemia da covid-19.

De acordo com informações avançadas pela técnica do Serviço Nacional de Proteção Civil e Bombeiros (SNPCB), Vitória Veríssimo, que coordena a atividade de fiscalização iniciada no Mindelo, as suspensões das atividades estão relacionadas, sobretudo, com o incumprimento do horário de encerramento estipulado para as 21 horas.

A mesma fonte salienta que a operação desencadeada no fim-de-semana foi o início de um “apertar da fiscalização”, visando sobretudo proteger a saúde pública, num momento que a ilha regista novo aumento de casos diários de infeções. 

Para além deste reforço no terreno, Vitória Veríssimo assegura que esta equipa vai também monitorar as pessoas que estão em quarentena domiciliar, visto que tem havido alguns incumpridores o que poderá aumentar os riscos de novos casos. 

A ação diurna é feita sobretudo nos dias de semana, visando sobretudo o uso de máscara facial na via pública e aglomerações e no final de semana está programado um patrulhamento noturno, com foco também nos horários de encerramento, aglomerações, realização de festas, entre outras atividades.

A equipa, criada para fiscalizar as medidas sanitárias contra a covid-19 em estabelecimentos públicos e privados de qualquer serviço, e que vai estar no terreno até pelo menos ao término do Estado de Calamidade, tem a competência de suspender temporariamente as atividades dos espaços que não estejam a cumprir as medidas sanitárias.

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2021: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.