Situação epidemiológica em São Vicente preocupa mindelenses que pedem “pulso forte” às autoridades

5/05/2021 20:36 - Modificado em 5/05/2021 20:36
| Comentários fechados em Situação epidemiológica em São Vicente preocupa mindelenses que pedem “pulso forte” às autoridades

Alguns mindelenses dizem-se “preocupados” com a situação epidemiológica da ilha de São Vicente, que tem registado aumento de casos e mortes de covid-19, e por isso pedem “mais responsabilidade” à população e “pulso forte” às autoridades sanitárias e de segurança.

O NN tentou saber qual o sentimento dos mindelenses em relação ao aumento de casos registado nos últimos tempos na ilha de São Vicente e Maria Nascimento é um destes que apontou uma situação “deveras muito preocupante”, já que, como disse, “todos os dias parece crescer mais e mais e as pessoas parecem se importar cada dia menos”.

A mesma aponta o dedo aos partidos políticos que promoveram grandes aglomerações por altura das eleições legislativas, mas salienta que cabe agora à população não baixar a guarda, para poder vencer este mal que afeta todo o país e o mundo.

“Não podemos agora ficar a lamentar sobre o leite derramado. Temos que fazer a nossa parte, porque só assim conseguiremos sair desta situação e retomar o dia-a-dia com alguma tranquilidade. Preocupa-me muito as mortes que quase diariamente ocorrem em São Vicente, assim como o aumento de casos da doença” sustenta.

Leandro Dias acredita igualmente que a população da ilha de São Vicente tem sido “bem negligente”, recorrendo a episódios que constatou desde a campanha eleitoral, como em outros casos, para dizer que a situação em São Vicente está “quase fora do controlo”.

“Números preocupantes, mas não é por falta de informações, porque toda gente sabe o que se está a passar em Cabo Verde e no mundo. As pessoas não estão se preocupando com elas mesmas, nem com o próximo. É muita irresponsabilidade”, frisou.

Um cenário que, de acordo com Patrick Monteiro, está a ficar “muito grave” para a população da ilha, assim como para as pessoas nas outras ilhas, considerando que tem havido “alguma falta de sensibilidade das pessoas”, que precisam ser “mais conscientes e ter uma cidadania mais ativa e responsável”. “Defendo que as autoridades, que estiveram desligadas na campanha eleitoral, devem agora atuar com pulso forte para evitar que o nosso sistema de saúde entre em colapso” conclui.

Sandra Brito tem uma posição semelhante e até levanta a possibilidade de serem colocados militares nas ruas, para impedir os ajuntamentos. “Acho que se continuar assim, nunca mais sairemos desta situação. As autoridades sanitárias, policiais e de defesa devem agir com mais precisão e rigor, porque senão será uma lástima”, sustenta.

A ilha de São Vicente, que tem registado um aumento de casos nos últimos tempos, contabilizou, por exemplo, 60 dos 417 casos novos positivos no país, segundo dados divulgados nesta quarta-feira.

O país passa a contabilizar 3.152 casos ativos, 21.763 recuperados num total de 25.159 casos positivos acumulados e 229 óbitos a lamentar.

O Ministério da Saúde tem vindo a reforçar o apelo para que as pessoas fiquem em casa e tomem os devidos cuidados para evitar a propagação da covid-19.

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2021: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.