Covid-19: Estado de calamidade em todas as ilhas à exceção da Brava

30/04/2021 12:48 - Modificado em 30/04/2021 12:48

O primeiro-ministro, Ulisses Correia e Silva anunciou hoje, na ilha do Sal, que todas as ilhas que são focos da pandemia de covid-19 no país, vão entrar a partir desta sexta-feira, em estado de calamidade para os próximos 30 dias, à exceção da ilha Brava.

A decisão foi anunciada durante uma visita efetuada ao hospital Ramiro Figueira. “Queremos evitar passar para medidas mais drásticas e uma das medidas mais drásticas seria o estado de emergência”, disse o PM.

A medida entra hoje em vigor “em todas as ilhas com exceção da Brava”.

As medidas implicam limitações, nomeadamente aos horários de funcionamento de estabelecimentos de restauração ou no acesso às praias, vão vigorar por 30 dias, sucedendo ao estado de contingência.

Ulisses Correia e Silva voltou a afirmar que festas “são proibidas” tanto de natureza pública ou privada e só serão permitidas “festas intrafamiliares”, em casa e com a família, isso porque está identificado que muito dos contágios tem sido através do ambiente de festa.

O Governo decidiu também endurecer as sanções contra quem não obedecer as regras sanitárias e, também, aos que não respeitem o isolamento, principalmente quem o faz em casa.

A fiscalização está a ser reforçada, e “já com visibilidade”, através das Forças Armadas, Proteção Civil, IGAE e Polícia Nacional, e será ainda mais reforçada, porque o que se quer é proteger a família, o emprego, a economia e para isso, acrescenta o PM, “é preciso que cada um faça a sua parte”.

No entanto, em caso de desrespeito às normas, as sanções serão de imediato aplicadas. “Por exemplo, entrando num restaurante ou num hotel, ou supermercado e se verificar que os funcionários não estão protegidos, não usam máscaras ou então que permitem entrada de pessoas sem máscaras, a consequência imediata é o encerramento desse estabelecimento”, avisou o PM, alertando que “não vamos falar duas vezes”.

No caso de festas, o espaço não só é encerrado, como as pessoas envolvidas serão apresentadas ao Tribunal para aplicação da medida de coação.

Cabo Verde conta com um acumulado de 23.554 casos da doença desde 19 de março de 2020 (quando foi diagnosticado o primeiro doente com covid-19 no arquipélago), distribuídos por todos os 22 municípios das nove ilhas habitadas do arquipélago, segundo dados do Ministério da Saúde.

Segundo os mesmos dados, morreram até ao momento 213 pessoas por complicações associadas à doença e seis por causas externas. O número de casos ativos no país é de 3.069.

O arquipélago soma ainda 20.257 recuperados, enquanto oito infetados, estrangeiros, foram transferidos para os países de origem.

Comente a notícia

Obrigatório

Publicidades
© 2012 - 2021: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.