Jorge Carlos Fonseca: “Onésimo Silveira é referenciado como uma espécie de encarnação de amor e identidade com a ilha de São Vicente”

29/04/2021 14:16 - Modificado em 29/04/2021 14:16

O Presidente da República, Jorge Carlos Fonseca, lamentou hoje a morte de Onésimo Silveira, primeiro presidente da câmara de São Vicente em democracia, vítima de doença prolongada, destacando-o como “uma espécie de encarnação de amor e identidade com a ilha de São Vicente”.

“Uma personalidade multifacetada que também participou nos grandes momentos da história de Cabo Verde, na luta pela independência nacional e pela democratização. Autarca, defensor da descentralização do poder. Somente isso é representativo daquilo que continuará a representar para os mindelenses e os cabo-verdianos no geral” começou por dizer o PR à imprensa na cidade da Praia.

Para Jorge Carlos Fonseca, Onésimo Silveira é também uma figura incontornável como intelectual, poeta, político, mas adianta que “é referenciado como uma espécie de encarnação de amor e identidade com a ilha de São Vicente”.

“Foi protagonista sempre muito crítico, polémico, que deixou este legado de amor por Cabo Verde, mas especialmente para com São Vicente, onde sempre lutou para a defesa da descentralização de poderes” sustentou Jorge Carlos Fonseca.

Também o ministro da Cultura e das Indústrias Criativas, Abraão Vicente lamentou a morte de Onésimo Silveira, frisando se tratar de um “símbolo do homem culto, de convicções fortes”.

“Símbolo do homem culto, de convicções forte, com a coluna vertebral no lugar, a imagem do que significa ser homem da cultura. Não há ser cultural sem que também seja ser político. Frontalidade, ideias profundas e combatividade! Até sempre Onésimo Silveira”, lê-se numa publicação de Abraão Vicente, na sua página na rede social.

A Embaixada de Cabo Verde em Portugal também emitiu uma nota de pesar, afirmando que foi com “a mais profunda tristeza” que recebeu a notícia do falecimento de Onésimo Silveira, “ilustre personalidade cabo-verdiana, político, diplomata, poeta e escritor”. “Para além do seu profundo engajamento no processo que conduziu à independência de Cabo Verde, também exerceu os cargos de presidente da Câmara Municipal de São Vicente, conselheiro do primeiro-ministro e embaixador de Cabo Verde em Portugal, no período de 2002 a 2005”, indicou, apresentando à família enlutada e amigos as “mais sentidas condolências e a sua plena solidariedade nesta hora de luto e de dor”.

Comente a notícia

Obrigatório

Publicidades
© 2012 - 2021: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.