Jorge Barreto garante que ainda não se registaram “eventos adversos mais graves” provocados pelas vacinas contra a Covid-19

27/04/2021 12:55 - Modificado em 27/04/2021 12:55

O diretor Nacional da Saúde, Jorge Noel Barreto, afirmou que até ao momento o nosso país não regista “eventos adversos mais graves” provocadas pelas vacinas contra a covid-19 que estão sendo aplicadas, apontando somente sintomas ligeiros.

O responsável, que falava na habitual conferência de imprensa para fazer o ponto situação da pandemia no País, realçou que são registadas apenas “situações de diarreia, de alguma tontura, febre e indisposição, mas que são efeitos esperados da vacinação”.

Em termos de vacinação, precisou que, neste momento, já foram imunizadas com a 1.ª dose um total de 12.901 pessoas com as vacinas disponíveis em Cabo Verde (AstraZeneca e Pfizer).

“Em relação aos profissionais de saúde já foram vacinados um total de 3.888. Por outro lado 2585 profissionais de saúde já receberam a segunda dose. Em relação aos idosos, já temos 7.667 pessoas com idade igual ou superior a 60 anos que já foram vacinadas com a primeira dose da vacina e já tivemos a aplicação de um total de 10.121 doses da vacina da AstraZeneca”, notificou.

O mesmo informou que o mês de abril é o mês em que se registou maior número de óbitos por causa de Covid-19.

“Já vamos num total de 40 mortes. É praticamente o dobro de óbitos ocorridos no mês de março e ainda faltam quatro dias para terminar o mês de abril” sustentou, referindo que com a identificação de tantos casos, a probabilidade de haver casos graves aumenta e, consequentemente, também a possibilidade de pessoas morrerem por causa da Covid-19.

Segundo as últimas atualizações, o nosso país contabiliza 2.839 casos ativos, 19.525 casos recuperados, 208 óbitos, seis óbitos por outras causas e oito transferidos, perfazendo um total acumulado de 22.586 casos positivos.

Comente a notícia

Obrigatório

Publicidades
© 2012 - 2021: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.