“Um sonho realizado”. Atleta paralímpico Carlos Araújo sobre as medalhas conquistadas – c/vídeo

21/04/2021 22:02 - Modificado em 21/04/2021 22:02

Com batucada, aplausos, cartazes e muitos gritos de boas vindas, foi assim na tarde desta quarta-feira, a receção do atleta paralímpico Carlos Araújo que conquistou três medalhas, duas de prata, nos 400 e 100 metros e uma medalha de ouro na prova dos 200 metros em Itália, onde representou Cabo Verde no torneio “Jesolo 2021 GrandPrix”.

Uma recção que conforme este atleta, o apanhou de surpresa, mas que o deixou bastante feliz ver os amigos a celebrarem as suas conquistas desportivas e relembra que foi uma competição “extremamente difícil”, tendo em conta que as dificuldades começaram desde logo, no país.

“As dificuldades começaram em São Vicente, já que sem lugar para treinos, pelo facto do Estádio Adérito Sena estar em obras, treinei em terra batida e depois na cidade da Praia, tive três lesões graves, mas ainda bem que tive o apoio dos fisioterapeutas e consegui recuperar”.

No entanto, já em Itália, conseguiu na primeira competição, a prova dos 400 metros “extremamente difícil”, a primeira medalha de prata. Mas no segundo dia, outra lesão impediu-o de conseguir o ouro, tendo alcançado a prata na prova dos 100 metros. A maior prenda veio na última competição, os 200 metros, não obstante os obstáculos com que deparou.

“Na empolgação da conquista de duas medalhas de prata, quis uma terceira e de preferência o ouro. Então comecei muito forte, mas a 50 metros da curva na final, ressenti-me de uma lesão muscular numa perna voltei a lesionar-me, mas graças ao apoio do dirigente Alcindo Lopes, cortei a meta, coxeando e assim consegui o ouro”, conta este atleta que conquistou a medalha no dia que completou 35 anos de idade.

O velocista cabo-verdiano diz, que esta conquista teve o sabor de um sonho realizado e que agora o principal é concentrar-se na sua recuperação e voltar focado em atingir os seus objetivos.

Mesmo assim, Araújo não atingiu uma das suas principais metas, que era conseguir os mínimos para os Jogos Paralímpicos do Japão. No entanto, o atleta tem mais uma oportunidade na Suíça nas provas de 100 e 400 metros.

Em representação do governo, o Ministério da Economia Marítima, diz que o executivo tem vindo a apoiar este atleta e vai continuar com este apoio, realçando a conquista de Carlos Araújo na competição em Itália.

Carlos Araújo integra a categoria T4m para amputado de membro superior. Residente em São Pedro, São Vicente, o velocista já foi por diversas vezes campeão nacional nos 100 e 400 metros e no salto em cumprimento.

Elvis Carvalho

Comente a notícia

Obrigatório

Publicidades
© 2012 - 2021: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.