Professores têm tido papel decisivo no combate à Covid-19 nas escolas – Delegada de Educação de São Vicente

20/04/2021 22:20 - Modificado em 20/04/2021 22:20

Pouco mais de um ano após a pandemia da Covid-19 e da interrupção das aulas presencias e reinicio em Outubro do ano passado, a Delegada de Educação de São Vicente numa análise ao desempenho dos professores em São Vicente, faz um balanço “extremamente positivo”.

Professores, alunos e pais tiveram que se adaptar à nova realidade de ensino e enfrentar os inúmeros desafios relacionados à tecnologia e aos demais fatores.

Maria Helena Andrade diz que apesar de todos os desafios, restrições, complicações, casos na comunidade académica e sem saber quando a situação volta a normalizar, tudo tem decorrido da melhor forma.

Esta responsável do Ministério da Educação em São Vicente, diz que embora, “temos tido vários casos de Covid-19 em alunos, professores e funcionários”, avalia de forma positiva o decorrer das atividades educativas desde a retoma das aulas, neste contexto de pandemia.

Helena Andrade diz ainda que na ilha as escolas têm-se adaptado, “muito bem” às questões de segurança no combate à covid-19” e que as salas de aula, são mais seguras que o ambiente que os alunos convivem fora das escolas.

A isto, destaca a importância dos professores e de toda a comunidade académica, sublinhando que tem “sido um juntar de mãos de todos. É de realçar que, dentro deste novo normal, estamos a funcionar na normalidade”.

Instada sobre o reforço das condições de higiene, garante que nas escolas o governo reforçou os serviços de limpeza com a contratação de novos funcionários. “Em todas as escolas o ME disponibilizou materiais de segurança, higiene e contamos constantemente com o apoio dos serviços de saúde da ilha, na questão da prevenção”, afirma.

Em relação ao número de casos, sem citar dados, diz que mensalmente a delegação do Ministério de Educação, recebe uma ficha que as escolas enviam dando conta da situação epidemiológica.

Com efeito, aponta que estes casos são baixos entre os alunos, professores e demais funcionários, mas que não são casos que aparecem dentro da escola, mas sim de fora, já que considera, que segundo relatório, dentro das salas de aulas com os professores é o local mais seguro, já quando saem das aulas, pouco ou nada podem fazer, para evitar a violação das medidas de segurança.

Estas medidas envolvem segurança sanitária e medidas de distanciamento, redução dos horários, redução de contacto físico e uso obrigatório de máscaras.

As turmas funcionam com o máximo de 22 alunos, sendo um por carteira e com distanciamento de 1 m (frente, trás e lado). O tempo de duração de cada aula passou a ser de 25 minutos, para cada disciplina, os intervalos são de 5 minutos e os alunos não transitam de sala.

Elvis Carvalho

Comente a notícia

Obrigatório

Publicidades
© 2012 - 2021: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.