Muitos eleitores com dificuldades em votar no país e na diáspora

18/04/2021 15:58 - Modificado em 18/04/2021 15:58
| Comentários fechados em Muitos eleitores com dificuldades em votar no país e na diáspora

As mudança nos cadernos eleitorais em alguns pontos do país e na diáspora, mais concretamente na Holanda, deixou muitas pessoas sem votar, gerando assim constrangimentos neste pleito eleitoral.

Em São Vicente, algumas pessoas dão conta que não chegaram a votar, ou conseguiram tal feito após muita correria, visto que receberam mensagens da Comissão Nacional de Eleições (CNE), com o nome de pessoas residentes em outras ilhas, informando da mesa de voto nessas mesmas ilha.

É o caso de Anilton Fortes, que diz que a CNE enviou uma mensagem para ir votar numa zona na ilha de Santiago que não conhece. “Eu vivo em São Vicente e não encontro o meu nome onde costumo ir votar que é em Chã de Alecrim”, desabafa.

Já Lígia Delgado afirma que a CNE não esteve bem neste aspeto, indicando que recebeu mensagens para ir exercer o seu direito de voto numa mesa na cidade da Praia, ao passo que está em São Vicente.

Na mesma situação encontra-se Kira Lopes, que diz que já recebeu pelo menos 4 mensagens com local e nome que não condizem com o seu, avançando que as mensagens são endereçadas para pessoas da Boa Vista.

Já na diáspora, mais propiamente em Holanda, o internauta António Silva, diz-se desagradado, assegura que apercebeu-se que na Assembleia de Voto no Consulado de Cabo Verde em Roterdão, de que a “nossa democracia ainda apresenta graves insuficiências”.

“Lamentavelmente muitas pessoas não conseguiram votar! O único argumento (…): “o seu nome não está na lista”. Eu, por exemplo, mesmo exibindo meu Bilhete de Identidade (vitalício) acompanhado do Verbete de Inscrição de Cidadão Nacional, o argumento foi sempre o mesmo. Bastava ver o desencanto na cara das pessoas, que apesar de muita insistências acabaram por abandonar o edifício sem poder votar; estamos todos profundamente desiludidos!” escreve.

Por sua vez, Charles Fortes frisa que a situação é “triste”, ao encontrar algumas pessoas no consulado de Roterdão com o mesmo problema exposto pelo cidadão António Silva. “Acabo de regressar do Consulado, onde encontrei algumas pessoas também com o mesmo problema que o António expõe. Felizmente eu consegui votar. Acho que a culpa está na capacidade organizativa tanto do Consulado, como dos representantes dos partidos políticos na Holanda, que não fizeram o seu trabalho com mais seriedade e sentido de democracia. Esperemos que consigam repor tudo antes das Presidenciais” escreve.

“Uma vergonha mesmo! Eu também presenciei o mesmo. Pessoas que não conseguiram votar por não estarem na lista” regista a internauta Osvaldina Pinto de Jesus.

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2022: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.