ERIS. Cabo Verde sem notificação de reações adversas à vacina da AstraZeneca

14/04/2021 22:20 - Modificado em 14/04/2021 22:20
| Comentários fechados em ERIS. Cabo Verde sem notificação de reações adversas à vacina da AstraZeneca

A Entidade Reguladora Independente da Saúde (ERIS), divulgou novas informações sobre a vacina contra a COVID-19 da AstraZeneca, apontando que até ao momento já foram vacinadas cerca de 2.821 pessoas no país com essa vacina, sem haver “qualquer notificação de reações adversas envolvendo problemas de coagulação”.

A vacina da AstraZeneca consta do Plano Nacional da Vacinação contra a Covid-19 no país e, conforme a ERIS, até ao momento não há notificação de reações adversas a esta vacina.

A ERIS realça que a possibilidade do aparecimento deste tipo de coágulos é “muito baixa” e que a eficácia comprovada da vacina da AstraZeneca na prevenção da hospitalização e morte por COVID-19 “supera, até então, os potencias riscos associados”.

No entanto, alerta que os profissionais de saúde devem estar atentos aos sinais e sintomas de tromboembolismo e trombocitopenia e alertar as pessoas vacinadas a se dirigirem “imediatamente a uma estrutura de saúde” caso desenvolvam outras patologias.

“Sintomas da presença associadas a coágulos sanguíneos, nomeadamente, falta de ar, dor no peito, inchaço nas pernas, dor abdominal persistente. Sintomas neurológicos, tais como dores de cabeça intensas e persistentes e visão turva. Pequenas manchas de sangue sob a pele, em locais distintos do local da injeção” lê-se na circular informativa da ERIS.

Esta nova circular informativa, de acordo com esta fonte, vem na sequência de uma nova revisão detalhada por parte da Agência Europeia do Medicamento (EMA na sigla em inglês), que divulga as conclusões da avaliação preliminar de eventos tromboembólicos graves em pessoas vacinadas, dos casos notificados no Espaço Económico Europeu (EEE) e no Reino Unido até 22 de março de 2021, que envolveram 62 casos de trombose em veias do cérebro (trombose dos seios venosos cerebrais) e 24 casos de trombose em veias do abdómen (trombose venosa esplâncnica), dos quais 18 foram fatais.

Nesta senda, a ERIS garante que irá continuar a acompanhar e a divulgar toda a informação de segurança sobre este assunto.

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2022: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.