Técnicos da Agência da Aviação Civil na Islândia para certificar Boeing da Cabo Verde Airlines

7/04/2021 22:02 - Modificado em 7/04/2021 22:02
| Comentários fechados em Técnicos da Agência da Aviação Civil na Islândia para certificar Boeing da Cabo Verde Airlines

Técnicos da Agência da Aviação Civil (AAC) de Cabo Verde estão na Islândia para certificar um avião da Cabo Verde Airlines, colocado há um ano em situação de armazenamento devido a pandemia.

O presidente da companhia aérea, Erlendur Svavarsson explicou esta quarta-feira, 07, que os técnicos da autoridade de aviação cabo-verdiana “encontram-se atualmente em Keflavik, na Islândia, juntamente com tripulantes de voo da Cabo Verde Airlines” que, depois de concluída a quarentena obrigatória devido ao protocolo da covid-19, “vão iniciar o processo necessário para retirar a aeronave do programa de armazenamento em que se encontra” e regressar ao arquipélago.

“E posteriormente, o processo de emissão de um novo certificado de aeronavegabilidade será tratado pela AAC. O plano será então trazer o avião para Cabo Verde”, acrescentou Erlendur Svavarsson, citado pela agência NewsAvia, sem concretizar datas.

Porém, Erlendur Svavarsson afirmou que a retoma dos voos comerciais pela CVA, suspensos há mais de um ano, “dependerá da abertura das fronteiras” e das autorizações de viagens nos vários países.

“A maioria dos principais mercados das companhias aéreas está atualmente fechada devido à quarta onda de covid-19”, enfatizou.

A CVA operava antes da pandemia com três aviões Boeing 757-200ER fornecidos em regime de leasing pelo grupo Icelandair, que lidera a companhia cabo-verdiana, e todos foram deslocados em março de 2020 para Miami, nos Estados Unidos da América, e colocados em situação de armazenamento devido à suspensão de toda a atividade comercial provocada pela pandemia.

Entretanto, o Boeing com o nome de “Baía de Tarrafal”, foi deslocado em 12 de março último para o aeroporto de Keflavik, na Islândia. O mesmo aconteceu em 20 de dezembro passado com o Boeing de nome “Fontainhas”.

A companhia aérea, liderada desde 2019 por investidores islandeses, está parada desde março de 2020, devido às restrições então impostas para conter a transmissão da covid-19 e não chegou a retomar as operações comerciais, apesar da reabertura dos voos internacionais por Cabo Verde em outubro.

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2022: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.