Viagens entre São Vicente/Santiago sem testes rápidos

17/03/2021 23:14 - Modificado em 17/03/2021 23:14

A Direção Nacional de Saúde, DNS, anuncia que procedeu esta quarta-feira, 17, a novos critérios para a realização de testes rápidos para viagens interilhas devido a Covid-19, sendo que os passageiros que iniciem viagem na ilha de São Vicente com destino a Santiago e vice-versa, não estão agora obrigados à realização de testes rápidos.

Essa atualização é feita conforme a evolução da situação epidemiológica da pandemia no país a cada 15 dias. A ilha da Brava tem uma taxa de incidência acumulada nos últimos 15 dias inferior a 25 casos de covid-19 por 100 mil habitantes, pelo que, segundo esta resolução, é considerada “verde” e os passageiros das ligações interilhas – com partida dessa ilha – não são obrigados a realizar testes para covid-19 para qualquer destino doméstico, em ligações aéreas e marítimas. 

As ilhas de Santo Antão, Sal, Maio, Boa Vista, Santiago, Fogo e São Vicente, com uma taxa de incidência entre 25 a 150 por 100 mil habitantes, de Santo Antão é preciso realização de testes caso o destino seja o Sal, São Nicolau, Maio e Brava. De São Vicente para São Nicolau, Sal, Boa Vista, Maio e Brava.

Passageiros da ilha do Sal para São Nicolau, Boa Vista, Maio e Brava. Do Maio para a Brava e ainda de Santiago para São Nicolau, Maio e Brava. Do Fogo para São Nicolau, Maio e Brava, fazem testes de despiste da Covid-19.

Os viajantes da ilha de São Nicolau estão obrigados à realização de testes rápidos nas viagens para qualquer ilha, por estar neste momento com uma taxa de incidência acumulada nos últimos 14 dias superior a 150 por 100 mil habitantes.

Informa-se ainda que haverá uma tolerância de 48 horas para a entrada em vigor dos critérios atualizados, de forma a que as estruturas de saúde e os passageiros possam se organizar melhor e evitar constrangimentos maiores nas viagens interilhas.

Comente a notícia

Obrigatório

Publicidades
© 2012 - 2021: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.