Indeferido o pedido de suspensão do julgamento de Amadeu Oliveira

23/02/2021 20:25 - Modificado em 23/02/2021 20:25
Foto: Inforpress

Os assistentes de acusação consideram o recurso de Amadeu Oliveira junto do Tribunal da Relação contra o indeferimento do pedido de suspensão do julgamento, uma “manobra” para impedir que o mesmo entre nas questões de mérito do processo.

Os advogados de defesa de Amadeu Oliveira recorreram junto do Tribunal da Relação do Sotavento da decisão da juíza Ivanilda Mascarenhas Varela de indeferir o pedido de suspensão do julgamento, apresentado na segunda-feira.

Ultrapassada a questão da competência pelo facto de a mesma pertencer ao 4º Juízo, a defesa alegou no requerimento de suspensão, apresentado na tarde de ontem, que a juíza tem um processo a decorrer no Conselho Superior de Magistratura Judicial (CSMJ) por alegado comportamento ilícito quando exercia na Comarca de Santa Cruz.

Ato que considerado de “triste espectáculo”, na perspectiva do assistente de acusação Manuel Miranda, que entende que está é uma manobra para evitar que se chegue às decisões destes autos em sessão de julgamento, contrariando as posições públicas do arguido, manifestando que quer julgamento.

Para sustentar o recurso e as suas motivações para o pedido de suspensão do julgamento e mudança da juíza, a defesa adiantou que vai anexar ao processo, mais três documentos a que só agora teve acesso, nomeadamente a declaração, datada de 22 de fevereiro, que na sua perspectiva comprova a reclamação feita contra a juíza.

Por seu lado, a acusação sustenta que Amadeu Oliveira diz ter provas, acciona várias entidades e responsáveis, pedindo um posicionamento e que caso não forem de acordo com as pretensões dele, são taxados de coniventes, suspeitos e não isentos e que nada está a ser feito para a introdução das correções das mazelas que alegadamente o sistema sofre.

“O arguido tem se posicionado como defensor do sistema, segundo ele justo, que corresponde à vontade do povo, mas passados quatro anos ainda se aguarda pelas provas de que vem dizendo que tem”, disse, apontando que Amadeu Oliveira vem forçando decisões favoráveis e chantageando órgãos e autoridades.

Em reacção, o representante do Ministério Público disse não ter nada a opôr ao pedido de suspensão da juíza que preside o julgamento.

Desde que o julgamento se iniciou, o mesmo ainda encontra-se na fase de questões prévias e requerimentos.

C/Inforpress

Comente a notícia

Obrigatório

Publicidades
© 2012 - 2021: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.