Mindelact e mais quatro associações e ONG no Mindelo estão entre as selecionadas para acolher o programa Bolsa de Acesso à Cultura

16/02/2021 15:16 - Modificado em 16/02/2021 15:17
| Comentários fechados em Mindelact e mais quatro associações e ONG no Mindelo estão entre as selecionadas para acolher o programa Bolsa de Acesso à Cultura

A Associação Mindelact-Zenaida Alfama e mais quatro associações e ONG em São Vicente estão entre as selecionadas para acolher a edição 2021 do programa do Governo Bolsa de Acesso à Cultura (BA Cultura).

Segundo a lista divulgada pelo Ministério da Cultura e das Indústrias Criativas, promotora da iniciativa, foram seleccionadas 80 instituições, entre escolas, associações e organizações não-governamentais (ONG) de ensino artístico em todo o território nacional, sendo que cinco destas são de São Vicente, AssociaçãoMindelact-Zenaida Alfama, Associação Grupo Desportivo e Recreativo Eskedinha, Associação SodadArteatro Escola e Ensinarte- Escola Inclusiva de Arte.

De acordo com os dados disponibilizados no documento, foram contempladas três escolas em Santo Antão, sendo duas no Porto Novo e uma na Ribeira Grande, duas em São Nicolau, uma na Ribeira Brava e uma no Tarrafal, cinco na ilha do Sal, cinco na Boa Vista e três na ilha do Maio.

Ainda de acordo com os dados, foram seleccionadas 44 escolas na ilha de Santiago, sendo 28 na Cidade da Praia, três em São Domingos, uma em São Lourenço dos Órgãos, quatro em Santa Catarina, um no Tarrafal, cinco em São Miguel e duas em Santa Cruz.

Já na ilha do Fogo foram seleccionadas duas escolas em São Filipe, seis nos Mosteiros e quatro em Santa Catarina, e uma na Ilha Brava, perfazendo assim um total de 19 dos 22 municípios com projectos no âmbito do programa Bolsa de Acesso à Cultura.

De acordo com a mesma fonte, a missão do programa é garantir que a população com menos recursos não fique excluída da “fruição da arte” e também dar sustentabilidade às pequenas iniciativas das escolas de ensino artístico, financiando as propinas dos alunos que são de famílias com baixo poder económico, para a frequência de aulas, ateliers e workshops de pintura, dança, música, teatro.

O programa tem, ainda, como missão formar cidadãos com sensibilidade artística e criar mercados para escolas de formação em arte. É um investimento também na família, ocupando os filhos e integrando-os na sociedade. É um investimento para se ter grandes artistas nacionais.

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2021: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.